lanterns on

967 144 41

Passara um tempo desde o dia no parque de diversões, eu e Jisoo acabamos levando outra bronca mas dessa vez das enfermeiras pois Chaeyoung acabou ficando gripada.

É claro, nós duas ficamos com a consciência pesada. E por estar envergonhada demais, eu acabei nem visitando Chaeyoung por um tempo.

- No mínimo ela só está entediada - Jisoo falava pelo telefone enquanto eu tinha uma barra de chocolate em mãos - só visitando ela você vai descobrir.

- Mas não tem como a gente sair do hospital do mesmo jeito - suspirei frustada - as enfermeiras não vão deixar a gente sair.

- Quem disse que vocês precisam sair? - escutei sua risada abafada - não seja burrinha Lisa, vocês podem se divertir mesmo estando dentro do hospital.

Jisoo tinha razão. Automaticamente meu olhar foi para uma velha mochila que eu usava durante a escola e uma lanterna sobre a mesa, acabei por ter uma ideia.

- Jisoo... Você ainda tem aquela barraca?

[...]

Eu carregava nas costas minha mochila, nem nos meus tempos de escola eu tinha carregado algo tão pesado assim. Entrei no hospital sem mesmo ter que me identificar já que a recepcionista já me conhecia e algumas enfermeiras até me cumprimentaram - aquelas que não estavam bravas comigo, claro.

- Mãe? - sorri quando a vi se preparando para ir embora.

- Lisa! - disse sorrindo, vindo até a mim me abraçando - não precisava ter vindo, eu já estava indo embora.

- Na verdade eu vim ver a Chaeyoung... já fazia um tempo.

- Ela dormiu quase o dia todo, fiquei preocupada mas acho que era só o cansaço mesmo - sua expressão ao falar de Chaeyoung ficava mais séria, o que me deixava assustada - mas ela pode estar acordada agora, vai lá tentar falar com ela.

Me virei dando de cara com a porta de seu quarto, não estava com muita coragem de entrar lá mas assim que dei meu primeiro passo fui puxada para trás - mais especificamente, minha mochila foi puxada.

- Quanta coisa... o que é isso?

- Acha uma má ideia se eu dormisse aqui? - perguntei envergonhada, minha mãe arregalou os olhos surpresa. Quem iria pedir para dormir em um hospital?

- Só vou deixar porque seus pedidos são até muito simples para mim - disse sorrindo fazendo eu bater palminhas animada, ela deu um beijo na minha testa e logo foi embora.

Me virei novamente para o quarto, tomando coragem para bater na porta. No mesmo instante escutei seu grito dizendo "entre".

- Oi... - iria terminar de falar se uma almofada não tivesse voado na minha cara.

- Como você ousa me deixar aqui sozinha por 10 dias? - disse gritando, não era exatamente um grito mas era diferente da voz de tédio que quase sempre ela fazia.

- Eu posso me explicar! - disse colocando as mãos para o alto, me redendo caso fosse atacada outra vez - achei que poderia estar brava comigo.

Ela não disse mais nada, apenas cruzou os braços e fez um bico. E eu precisei rir daquela cena por ela parecer uma criança irritada com a mãe.

months counted » chaelisaOnde as histórias ganham vida. Descobre agora