Capítulo 15

10.9K 1.1K 1.2K

Harry permaneceu no chuveiro com Louis, continuando a esfregar suavemente a toalha sobre o corpo machucado. Ele sentiu conforto no movimento, e esperava que Louis também sentisse. O menino menor ainda estava encostado no peito de Harry com os olhos fechados. Ficaram assim até que a água começou a perder o calor. Harry desligou o chuveiro e ajudou seu amigo ferido a sair de lá.

Harry ficou feliz em ver a coloração de pele do menino retornar. Ele havia chegado com uma cor pálida e doentia, combinando com os lábios azuis, mas sua pele bronze natural, havia retornado, assim como os lábios rosa claro. Ele também não estava mais tremendo de frio, mas Harry ainda se sentia preocupado com o quão fraco e com dor Louis parecia estar.

Ele envolveu uma grande toalha vermelha e macia em torno de Louis e agarrou uma toalha para si também. Ele guiou Louis de volta para seu quarto, e pegou uma boxer limpa para o menino vestir. Ele esfregou o tecido macio da toalha por todo o corpo de Louis, absorvendo todas as gotas de água que estava sobre sua pele. Ele nem sequer corou quando se inclinou para secar as curtas pernas do menino. Uma vez que ele estava satisfeito com a forma seca que Louis estava, ele ajudou o adolescente com a boxer.

Harry levou Louis até sua cama e o ajudou a deitar sobre o colchão confortável. Louis estremeceu quando deitou de costas, o braço sobre o corpo, abraçando seu abdômen, mais especificamente, suas costelas. Harry puxou a colcha grossa para o corpo do menino semi nu. Louis estava com os olhos fechados e Harry achou que o menino estava tão cansado que já tinha adormecido, até que ele se afastou da cama e a mão direita de Louis se estendeu para detê-lo.

"Por favor, fique comigo."

As palavras foram ditas em um tom tão baixo, que Harry não teria ouvido se não estivesse olhando para o menino. Ele continuou a olhá-lo quando viu uma única lágrima rolando pelo seu rosto. Pelo que parecia ser a centésima vez nesse dia, Harry sentiu uma faca apunhalar seu coração.

Ele rapidamente foi até o outro lado da sua cama e subiu, sentando ao lado de Louis, com as costas apoiadas contar a cabeceira. Ele levou sua mão até os cabelos úmidos de Louis e acariciou.

"Eu não vou deixar você", ele assegurou em um sussurro suave, reconfortante.

Harry observou quando Louis adormeceu. Ele tomou o seu polegar e gentilmente limpou a mancha de lágrima salgada da bochecha do menino, quando sentiu as suas começarem a escorrer. Tudo que ele queria fazer era tirar toda a dor de Louis. Ele queria envolvê-lo em seus braços e nunca deixá-lo ir. Ele queria manter o menino seguro de qualquer monstro terrível que estivesse lá fora o causando tanta angústia.

-x-

Niall estava animado para finalmente sair de casa. Ele estava proibido de sair por mais de uma semana com a gripe. Ele tinha se sentido bem nos últimos dias, mas seus pais o fizeram ficar em casa de qualquer maneira, querendo se certificar de que ele estava cem por cento bem. Ele não tinha feito nada, além de ficar deitado na sua cama, assistindo filmes terríveis todos os dias. Então, quando a mãe de Harry, viu como o menino estava entediado no final de semana, convidou Niall para jantar hoje à noite, e ele, obviamente, não recusou a oferta.

Além do fato de que envolvia comida livre, não era qualquer comida, era a comida de Anne, e ele estava animado para ver Harry. Ele não via ser melhor amigo a mais de uma semana, e mal tinha conversado com ele. Ele queria ter certeza que Harry estava bem e que o bullying na escola não estava ficando fora de controle, sem ele lá para defendê-lo.

Ele caminhava pela rua com o ar frio soprando em seu rosto desprotegido. Ele inconscientemente colocou seu casaco apertado em torno de si mesmo, quando chegou à casa do seu amigo de cabelos encaracolados. Ele não se preocupou em bater na porta ou tocar a campainha; em vez disso ele simplesmente abriu a porta e agradeceu pelo calor do lar.

More Than Meets The EyeWhere stories live. Discover now