CAPÍTULO X

553 24 13


João Pedro abriu a porta do seu apartamento e lá estava Renan parado no corredor.

-Oi – Disse o garoto.

-Oi.

Eles seguiram em silêncio para o quarto de João. Quando a porta foi trancada, os dois se sentaram na cama lado a lado, e ficaram alguns segundos sem dizer nada.

-Então? – João disse por fim.

-Obrigado por me deixar vir. Precisamos mesmo conversar.

-É...

Tudo começou naquele dia em que Renan se encontrou com Samuel. Assim que saiu da casa do rapaz, Renan enviou uma mensagem a João dizendo o que tinha acontecido. Para a sua surpresa, o amigo não gostou de saber que Renan havia transado com Samuel sem ele. Os dois acabaram tendo uma discussão naquela tarde e passaram alguns dias sem se falar.

Mas Renan quebrou o silêncio ao mandar uma mensagem depois da escola, pedindo para passar na casa de João. Agora os dois finalmente iriam conversar pessoalmente após a briga.

-Eu acho que foi uma besteira a gente ter brigado – Renan começou a falar – Deveríamos ter resolvido isso naquele dia.

-É mesmo...

-Você ainda está com raiva de mim?

-Não. Eu só fiquei com um pouco de ciúmes por que você teve uma segunda vez com o Samuel e eu não. Desculpa.

-Queria que você estivesse lá comigo, te juro. Mas você tinha ido ao dentista.

-Eu sei, eu sei. Foi uma besteira mesmo. Vamos esquecer esse assunto vai.

-Tudo bem. Mas sabe o que você deveria fazer?

-O quê?

-Deveria ter sua chance com o Samuel também. Só você e ele.

-Ah, mas eu prefiro que você esteja lá também.

-Mas daquela vez eu fui sozinho. Agora é sua vez.

João Pedro se ajeitou na cama, coçou atrás da cabeça e disse:

-Para falar a verdade... Eu até tentei. Fui na casa dele no dia seguinte após a nossa briga, mas acho que ele não estava. Toquei a campainha e ninguém atendeu.

-Ah... Que pena. Mas você pode tentar outro dia.

-Quem sabe. Eu nem estou com muita vontade, para ser sincero.

-Não tá com vontade de transar com o Samuel Bianchi?

-Pois é.

-Cara, o quê está acontecendo com você?

-Sei lá... Esses dias eu fiquei refletindo... Tipo, o Samuel é uma delícia, e eu ainda sinto um tesão enorme por ele. Mas que saber de uma coisa?

-O quê?

-Agora eu estou mais interessado em... Nós dois.

Surpreso, Renan perguntou:

-Como assim?

-Pode parecer loucura, mas tem uma coisa que não sai da minha cabeça nos últimos dias.

-O quê?

-Que nós não precisamos dele. Do Samuel.

-Não precisamos dele para quê?

João olhou para Renan com uma expressão facial que queria dizer "Não é obvio?". O amigo entendeu na mesma hora.

Contos (Gays) Na AdolescênciaRead this story for FREE!