CAPÍTULO VII

661 26 28


Ruan Dias tinha certeza de que sua amizade com Felipe havia acabado. Não tinha mais volta. Ele havia colocado para fora tudo o que desejava há bastante tempo, apesar de ter se arrependido de ter dito daquela maneira. Mas isso não importava. Felipe agora sabia de tudo... Sabia que Ruan era gay, sabia que era apaixonado por ele, sabia que nunca tinha esquecido aquele beijo...

Os dois pararam de se falar depois desse ocorrido. Na escola, Ruan e Felipe sempre mantinham distância. Felipe passou a se sentar em outro lugar na sala de aula, e quase nunca se juntava ao grupinho de amigos deles. Agora Felipe estava sempre com Mariana, embora Ruan suspeitasse de que ele não estava muito feliz. Podia ver isso no rosto dele, afinal de contas, conhecia-o muito mais do que aquela garota.

Esses dias foram muito difíceis para Ruan. Ele só saia de casa para ir à escola, e na maior parte do tempo ficava recluso no quarto. Houve um fim de semana em que seus amigos lhe convidaram para um passeio, mas ele não quis ir. Inventou a desculpa de que não estava se sentindo bem, mas a verdade é que ainda estava abalado com tudo o que tinha acontecido...

Trancado no quarto, deitado na cama sob um edredom, Ruan se perguntava por que as coisas não poderiam ser diferentes. Por que ele simplesmente não poderia ter o que tanto desejava? Por que não poderia ser correspondido por Felipe? Por que se sentia tão mal ao pensar que nunca ficaria com o amigo? Era uma dor interna muito grande. Talvez pior do que qualquer tipo de dor física...

Em uma manhã chuvosa, durante uma aula vaga de biologia, Ruan decidiu se sentar em uma cadeira vazia no fundo da sala. Enquanto a maioria dos outros adolescentes estava conversando ou fazendo brincadeiras, o garoto preferiu ficar quieto naquele canto, afastado de todos. Ele olhou de relance para o outro lado da sala e viu Felipe e Mariana conversando intimamente perto da porta.

Ruan colocou os fones de ouvido, e deixou uma playlist do celular tocar aleatoriamente. A música lhe deixava melhor, mesmo que só um pouco. Ele só não gostava de ouvir músicas que lhe lembravam Felipe, e essas eram várias. Há algum tempo atrás, ali mesmo na escola, Ruan e Felipe costumavam dividir o fone de ouvido e escutar música enquanto conversavam. Ruan sabia qual era a banda favorita do amigo e por isso evitava ouvir certas músicas. Tudo o que era precisava naquele momento era se distrair com outras coisas.

Não demorou muito e Ariana sentou ao lado dele no fundo da sala. A garota sempre tentava conversar com Ruan quando o via triste e afastado dos outros. Talvez fosse a única que realmente soubesse o que estava acontecendo de verdade. Ela tinha uma intuição muito boa para esses assuntos.

-Sozinho de novo pra variar – Ela falou para Ruan – Pelo visto essa sua bad tá demorando pra passar hein.

-Parece que você é a única que se importa.

-Não é verdade. Os outros também se importam, mas você sabe como são os meninos...

-Sim...

-Você e o Felipe brigaram não é?

-Por quê acha isso?

-Por que vocês não estão mais se falando. E o Felipe não senta mais com a gente. É tão obvio, todo mundo já percebeu. E estávamos discutindo o motivo disso. Queria que você me contasse.

-É complicado...

Ruan não queria dar explicações aos amigos. Não poderia dizer a verdade.

-Ele não é seu melhor amigo? – Ariana perguntou.

-Ele era. Agora não é mais.

-Por quê?

-Aconteceram umas coisas aí. E eu não quero falar sobre isso.

Contos (Gays) Na AdolescênciaRead this story for FREE!