Depois de tentar convencer o Harry a ficar em casa, porém, sem sucesso, acabei acatando a ideia de ele ir comigo para minha casa, pois segundo ele, a vaca da Katiane ( é, errei o nome de propósito mesmo) poderia me atacar em qualquer momento. Até mesmo quando fosse deixar o lixo fora de casa.

- Já pegou as suas coisas, querido? Vamos logo, a gente não tem muito tempo! - o apressei, já que ele estava demorando muito e não tínhamos muito tempo até eu chegar em casa e organizar pelo menos uma pequena festinha de boas vindas para eles.

- Estou indo, meu amor. É a ansiedade de apresentar o namorado bonitão para a família? - ele seu uma piscada convencida e eu tive que rir.

- Cadê a bola?

- quê?

- a bola, pra você baixar. Seu ego tá muito alto, garoto. Agora anda, vamos. - bati palmas, em sinal de ordem pra ver se a criatura adiantava alguma coisa, e a gente iria logo pra minha casa. Não me lembrava do Estado em que se encontrava, então teria algum trabalho (supostamente) a fazer quando chegasse lá. Não queria receber meus pais com a casa fazendo um cosplay de chiqueiro do século vinte, né mores?

Cerca de vinte minutos depois, estávamos dentro do carro, já saindo do estacionamento do prédio. No caminho, conversamos e contamos piadas toscas para amenizar o clima de "ferrou, você vai conhecer os meus pais, vulgo seus futuros sogros, toma essa bomba, styles."

Porém, para quem ia conhecer os pais e a irmã da namorada, Harry estava muito tranquilo para o meu gosto, não que eu quisesse vê-lo quase arrancando aqueles cachos lindos de tanta ansiedade né? O que era bom, afinal.

Chegamos na minha casa, algum tempo depois, e pode até parecer piada de natal, mas eu ficará tanto tempo sem pôr os pés lá que tinha até esquecido de como minha casa era.

- Nossa, faz tempo que eu não entro aqui -falei sozinha, assim que destranquei a porta e adentrei. Aparentemente estava tudo em seu devido lugar, nada de invasões, quebradeiras, ou vandalismos. Tudo na mais perfeita ordem.

Harry entrou logo atrás de mim, depositando sua mochila em cima do sofá, e vindo de encontro a mim.

- Tudo em ordem? - ele perguntou

- aparentemente, sim. Não estou vendo nada de anormal - retruquei ainda olhando toda a sala. Estava aliviada.

- então eu vou tomar um banho, não quero parecer um mendigo na frente dos meus sogros. - ele falou, pegando sua mochila e a levando para o meu quarto. Ah, meu querido. Mas nem que você quisesse, nem que pagasse iria parecer um mendigo. Pelo menos não um mendigo comum, mas sim, um gato daqueles que só se vê em novela!

Voltei meus pensamentos à normalidade, ainda conseguindo captar meu olhar naquela bunda que.. ai meu deus, agora tá explicado a tara de algumas meninas, principalmente a gih por bundas masculinas.

Foco, Lauren. Foco. Seus pais estão chegando, você não pode ficar secando descaradamente a bunda do seu namorado, ainda que não arranque pedaço.

Então, depois de muito custo, resolvi organizar tudo, e verificar se havia mantimentos suficientes para acolhê-los. E.. puta merda! A despensa estava quase vazia!!! Precisava fazer alguma coisa.

- Aconteceu alguma coisa, amor? - Harry perguntou, atrás de mim.

Me virei e dei de cara com ele de cabelo molhado e uma toalha enrolada perigosamente na cintura. Puta merda! Que namorado gostoso eu fui arranjar! Perdi até o foco!

- HM.. bem.. eu..  Ahm....

- Você... ? - ele me encorajou, exibindo a sombra de um sorriso em seus lábios.  Sabia que estava me afetando. E sabia muito.

Pigarreei e voltei a captar o minimo de concentração que tinha.

- A despensa está com pouca comida... Eu não sei quanto tempo eles tem até chegarem aqui... E... Bem, pensei em pedir a ajuda...

- YURI! vou ligar para ele e ele vai nos quebrar mais essa! - andou diretamente para o meu quarto, tão sexy... Ok. Concentra, Lauren.

Enquanto Harry foi ligar para o seu fiel escudeiro, continuei reorganizando a minha sala, trocando os lençóis do quarto de hóspedes e ajeitando o sofá cama, além de colocar outro lençol nele, para que eu ou Harry dormíssemos lá, afinal, eu era a anfitriã da visita dos meus pais, eles mereciam o melhor, de fato.

Instantes depois, ele retornou, sorrindo.

- Pronto. Problema resolvido. Pedi uma ajudinha a Yuri e logo logo ele virá com as compras. Mais alguma coisa, madame?

- HM... Talvez um ou dois beijos que o meu namorado charmoso deixou de me dar hoje..  - Falei, me aproximando dele, segurando em seu pescoço, manhosamente.

- ah, é? Odeio deixar dúvidas sem serem pagas... - ele deu um sorrisinho safado, e se inclinou para me beijar. Quando nossas bocas estavam bem próximas, meu celular começou a tocar. Quem será que foi o empata beijo da vez? Se for a gih, eu...

- espera só um minuto, querido... - me afastei dando apenas um selinho em seus lábios e fui pegar o meu celular.

Quando olhei o visor, era o número da minha mãe.

- Oi mãe!

- Oi querida filhota ingrata, estamos quase chegando em Londres, você já está vindo para a rodoviária?

- HM.. c-claro, mãe. Já estou chegando. - Menti de leve. Após isso, finalizamos a ligação e me virei para Harry.

- ferrou! Eles já estão chegando! A gente tem que correr para a rodoviária! - falei, me apressando para o quarto, a fim de dar uma ajeitada no cabelo, pegar minha bolsa e verificar se estava tudo em ordem, não queria parecer um cachorro esfomeado na chuva para a minha família.

E lá fomos eu e meu namorado buscar minha família louquinha.


Aaaaaaaaha! Sera que teremos treta? Hahhahahaa aguardem

50 Tons de Harry Styles Leia esta história GRATUITAMENTE!