Ideia sem cabimento...

1.9K 319 28

Noah*

Olho de minha mãe para a garota e para minha mãe de novo.

Que ideia sem cabimento é essa?

Mal conhecemos essa garota, ela não passa de uma vândala, destruidora de carros.

E se ela for perigosa?

-Mãe, acho que Aretha tem algo melhor para fazer, creio que é muito em cima da hora, acha que Anabethe vai aceitar isso?

Tento contornar a situação e tirar essa ideia de jirico da cabeça de minha mãe.

-Pare de bobagens filho, Bethe não será contra, eu faço ela aceitar, Aretha é sua amiga e não faria essa desfeita, diz que aceita querida?

Ela se volta para a garota que tem as bochechas rosadas..

-Eu... Não sei... eu...

Ela suspira..

Bufo e cruzo os braços em frente ao peito, sei o quanto minha mãe pode ser insistente.

-Vamos aceite, vai ser muito bom ter você conosco.

-Tudo bem.... Eu aceito...

Diz a garota resiguinada.

Merda!

Essa agora..

Minha mãe saltita feliz.

-Oh que bom! Agora vamos, para o restaurante assim você conhece a todos e depois seguimos para tirar suas medidas...

Minha mãe segura o braço dela e sai rebocando a pequena garota para o lado do restaurante, bufo e a contra gosto as sigo.

Mais se essa garota pensa que vai se sair bem nessa história, ela esta muito enganada.

Passo na frente e abro a porta dando passagem a minha mãe e logo em seguida a Aretha.

-Ainda vamos conversar...

Sussurro em seu ouvido quando ela passa por mim.

Logo estamos perto da mesa.

-Gente, essa é Aretha, amiga de Noah.... Querida esse é Marcelo meu Marido, esse Levi meu caçula e sua noiva Anabethe, esse é meu sobrinho Edward e sua noiva Nicole.

Dona Marieta apresenta cada um na mesa .

-É um prazer conhece-los.

Diz baixo e posso ver o quanto está envergonhada.

Todos a cumprimentam educadamente.

-Por favor, pode nos consiguir uma cadeira?

Minha mãe pergunta a um garçon que estava passando, ele assente e segundos depois volta com a cadeira e coloca ao lado de onde esta a minha.

Ela se senta e eu faço o mesmo.

-Então, Bethe resolvi o nosso pequeno empasse, como sua amiga esta impossibilitada de ser sua dama, a linda Aretha aceitou assumir o papel.

Minha mãe diz contente.

Olho para Anabethe que a mede nos mínimos detalhes.

-Mais eu não a conheço..

Diz simplesmente e toma um gole de seu vinho, olho para Aretha que se mexe constrangida na cadeira.

-Ela é amiga de Noah e sendo assim eu confio nela e assunto encerrado, saindo daqui vamos na Mason tirar as medidas.

Minha mãe diz sem deixar espaço para discusão.

Anabethe revira os olhos e Natalie diz algo em seu ouvido.

-Me diz... Aretha.. A quanto tempo conhece meu querido cunhado..

Mulherzinha insuportável.

Resmungo mentalmente.

-Bom... a...

-A alguns meses..

A corto respondendo em sua frente.

Ela me olha surpresa.

-Você não me é estranha, me diga seu sobrenome, quem sabe já nos vemos em algum lugar, Nova York talvez?

Agora foi Nicole quem resolveu falar, travo o maxilar.

Conheço bem o joguinho dela.

Manipulação filha da puta!

- Stefano é meu sobrenome e não... Nunca fui a Nova York..

Ela responde.

-Entendi, Stefano... É os Stefanos da Califórnia que são donos da rede hoteleira?

Questiona Bethe curiosa empinando o nariz.

Os outros da mesa estão em silêncio..

Olho para Aretha..

-Não, sou dos Stefano de Sacramento... Nada de Hotéis.

Encolhe os ombros e sorri constrangida.

É nítido o quanto está desconfortável nessa situação toda.

-Agora que acabou com o questionário podemos pedir, estou com fome

Digo cortando o assunto.

-Nossa, sou estou curiosa, afinal ela sera a minha dama, no dia mais importante de minha vida.

Suspiro e chamo o garçon.

Fazemos os pedidos e depois de minha mãe insistir Aretha pediu algo para ela também.

Estamos todos comendo.

O assunto flui Aretha de vez em quando diz alguma coisa.

Estamos já na sobremesa..

Bethe e Natalie não voltaram a incomodar com perguntas e fiquei mais tranquilo.

Aretha pedi licença e segue para o banheiro, espero alguns minutos e me levanto indo para o mesmo lado.

Olho para os lados e não vejo ninguém, empurrou a porta do banheiro e a vejo apoiada na pia com a cabeça baixa, entro e tranco a porta atrás de mim.

-Você não deveria ter aceito.

Digo direto, ela se assusta e se vira rápido.

-Que susto.

Ela coloca a mão no peito e puxa uma longa respiração.

-Eu sei droga.... Mais fiquei com medo..... Não sabia o que fazer..

Ela passa as mãos nos cabelos nervosa e eu reviro os olhos.

-Era só dizer não, agora vai ter uma vândala dentro da casa dos meus país.

Seu rosto de fecha em uma carranca.

-Escuta aqui, vândala é a senhora sua.... Bom, esquece, sua mãe é um amor, não sou nenhuma vândala, só fiz uma bobagem quando estava de cabeça quente, não me insulte senhor Juiz, pois do mesmo jeito que conhece seus direitos também conheço os meus, então tira essa coroa ai, não é por que o abacaxi tem coroa que é tratado como rei... Baixa a bola que você não é tudo isso.

Dito isso sai jogando os cabelos loiros e me deixa chocado no lugar..

Mais que porra foi essa?




Não vai embora sem votar hem!!!!

Beijos de uva.

Yasmin Godoy

A Garota do café Onde as histórias ganham vida. Descobre agora