Capítulo 30

974 38 14

Acordo com o barulho da campainha, levanto rapidamente e visto o roupão de cetim verde que se encontra ao lado da cama, caminho relutante até a porta e dou de cara com o carteiro que me olha dos pés a cabeça com um sorriso no canto da boca.

" Srta. Moore? "

" Sim?! "

" Entrega para você. "

Ele me estende um envelope de papel pardo e eu assino o prontuário de entrega um pouco curiosa.

" Obrigada. " Sorrio timidamente.

" Tenha um bom dia, Srta. Moore. " Faz um aceno de cabeça.

" Bom dia. "

Fecho a porta e encaro o envelope endereçado a mim, não tem remetente o que me deixa intrigada, estou prestes a abri-lo para verificar o seu conteudo, porém meu despertador toca indicando que está na hora de me arrumar para ir trabalhar. Volto para o quarto e guardo o envelope em uma gaveta da cômoda, seguindo para o banheiro e tomando um banho quente e relaxante. Coloco uma calça jeans, uma camiseta, meus all star e um moletom, acabo deixando o cabelo solto e pego minha mochila que está jogada em um canto do quarto e saio para mais um dia de trabalho.

Diferente de quando eu trabalhava na Coffe Payne's eu não preciso sair correndo pois a livraria fica apenas a alguns minutos de distância. O começo do dia passa tranquilamente, o movimento um pouco mais carregado que o normal e minha mente perdida na encomenda que chegou mais cedo, não faço idéia do que possa ser mas não estou com um bom pressentimento. Quando chega a hora do almoço meu celular toca indicando uma chamada de Harry.

" Oi, baby. "

" Olá. "

" Será que posso te roubar uns minutos e ter sua companhia para um almoço? "

" Claro que sim. Onde nos encontramos, Hazz? "

" Passo aí em cinco minutos. "

" Certo. "

" Te amo, Chris. "

" Também te amo, Hazz. "

Meu inconsciente me encara de braços cruzados, questionando meus sentimentos, mas a verdade é que eu realmente amo Harry Styles, talvez não do jeito que ele gostaria, talvez não do jeito que ele merece, mas ainda assim eu o amo.

Exatamente cinco minutos depois ele estaciona o carro em frente a livraria e me espera de forma distraída do lado de fora, com um sorriso lindo que faz meu coração se derreter um pouco.

" Lindo como sempre. " Jogo meus braços ao redor de seu pescoço e lhe dou um abraço apertado.

" E você encantadora como sempre. " Ele sela nossos lábios em um beijo casto.

" Tudo certo no trabalho? "

" Sim, só senti sua falta. Principalmente depois da noite de ontem. "

" Uma noite maravilhosa por sinal. " Sorrio.

Seguimos para um restaurante não muito longe e Harry desabafa de como sente falta da Coffe Payne's e eu compartilho do mesmo sentimento. Se o Sr. Payne não fosse tão mandão e controlador - ou devo dizer babaca? - nós dois ainda teríamos nosso emprego dos sonhos, não que trabalhar em uma cafeteria seja o sonho de uma garota de 19 anos mas eu realmente gostava daquele lugar. Comemos tranquilamente conversando sobre coisas aleatórias em um clima muito agradável, mas em alguns momentos percebi que Harry estava um pouco distante, talvez preocupado com alguma coisa mas como ele não deu nenhum brecha nem me atrevi a perguntar o que estava acontecendo, deve ser algum assunto particular e eu não quero me intrometer.

" O que acha de fazermos uma viagem fim de semana? "

" O que? "

" Acho que seria bom respirar novos ares. "

" Mas assim do nada? "

" É só uma viagem, Chris, não estou te pedindo em casamento. " Sorri debochadamente.

" Certo, o que tem em mente? "

" Estava pensando em Nova York ou Paris. " Ele encolhe os ombros. "

" Uau. Alguma ocasião especial? "

" Não. Só o fato de eu namorar a mulher mais linda e incrível do mundo. "

" Entendi. " Sorrio timidamente. " Nova York e Harry Styles me parece uma combinação e tanto. "

" Paris, Chris Moore e um quarto de hotel também. "

" Acho que temos um impasse. "

" Acho que não. " Arqueio a sobrancelha. " Vou com você pra qualquer lugar do mundo e se você diz que gosta dessa combinação entre Nova York e eu, então é pra lá que nós vamos. " Ele afaga minha mão por cima da mesa e eu não aguento, levanto e sento em seu colo selando nossos lábios.

Algumas pessoas olham em nossa direção com sorrisos discretos e eu me sinto envergonhada por não conseguir segurar a vontade de beija-lo, terminamos a sobremesa e após ele pagar a conta saímos para a rua, ao chegar na calçada Harry me prensa entre ele e o carro, me beijando com carinho, uma de suas mãos está em minha cintura e a outra em minha nuca, puxando-me mais para ele. Voltamos para a livraria faltando quinze minutos para acabar meu horário de almoço.

" Obrigada pelo almoço, olhos verdes. "

" Obrigado pela companhia, olhos azuis. " Sorrimos um para o outro e ele solta o cinto de segurança para se aproximar mais de mim, acaricia meu rosto com o polegar e me olha intensamente. " Eu te amo. "

" Eu também te amo. " Digo carinhosamente e selo nossos lábios em um beijo calmo.

Quando entro na livraria Chloe e Sebastian estão me olhando com sorrisinhos maliciosos.

" Seu amigo é um gato hein, Chris?! " Sebastian suspira.

" Sim, muito. " Rio.

" Se ele estiver disponível, fale que uma amiga o achou bem interessante. " Chloe me olha.

" Eu até falaria, mas ele é meu namorado. "

" Desculpe. " Ela encolhe os ombros.

" Sortuda você. " Sebastian diz.

" Sem problemas Chloe, eu sei que Harry chama muita atenção. "

" Imagino, mas você não fica muito atrás. "

" Não tem nem comparação, eu posso até ser bonita, mas o Harry é um Deus grego. "

" Sem essa Chris, se eu fosse hetero já teria me apaixonado por você. " Sebastian me lança um sorrisinho de lado.

O restante do dia se arrasta calmamente com os dois tagarelas comentando sobre os homens bonitos que passam pela porta, acompanhado ou não. Quando o relógio marca 18:05 vejo Harry encostado distraidamente no carro à minha espera, sorrio timidamente sobre os olhares maliciosos dos meus colegas de trabalho e saio porta a fora.

" Oi, saiu mais cedo hoje? " Lhe dou um abraço apertado e um selinho.

" Estava tudo tranquilo por lá e deixei uma pessoa responsável pelo resto do expediente. "

" Você tem algo para fazer na sua casa? "

" Não, dei uma passadinha por lá pra saber se estava tudo bem e minha mãe lhe mandou um beijo. "

" Faz tempo que não a vejo, preciso lhe fazer uma visita. "

" É, acho que precisa. Então, como estou livre, sou todinho seu. "

" Adorei a última parte. " Sorrio maliciosa e agarro seu pescoço lhe dando um beijo cheio de segundas intenções.

" Acho melhor levar a mocinha para casa agora. "

" Ótima idéia. "

O Chefe || L.PLeia esta história GRATUITAMENTE!