Capítulo 25

13 3 0

— Você realmente gosta de me seduzir pro mal caminho, né? — disse Nelson, tentando tirar a atenção de si, esperando que o coração voltasse ao normal.

— Sim, mas é você quem fica seduzido por outro cara — respondeu Cris, com o sorriso malicioso familiar.

Nelson fechou os olhos, respirou fundo e saiu da piscina.

— Obrigado pela tentação, mas acho que é melhor eu treinar. Digo, faz um bom tempo...

— Eu sabia que você diria algo assim, já que é masoquista e tudo mais. — Cris suspirou alto e mostrou um sorriso gentil.

— Não sou. Eu sou o mais longe de masoquista quanto um cara normal pode ser — disse Nelson, fingindo estar irritado. Então parou de fingir. — Mas, se eu fosse um, e, de novo, não sou, isso não quer dizer que você é um super sádico?

Cris colocou uma mão no queixo e parou para considerar. Um segundo depois, seu sorriso alargou e suas bochechas ficaram com um tom vermelho.

— Tudo que escuto é que somos perfeitos um pro outro.

Nelson ficou corado e fingiu tossir.

— Então, o que tem pra hoje? — perguntou com uma voz estranhamente grave, tentando mudar de assunto o mais rápido que podia.

Ainda vermelho, o assistente tirou o celular da jaqueta. Depois de tocar na tela algumas vezes, ele assentiu e murmurou para si mesmo.

— Que... tudo isso pro primeiro dia? O que o treinador tem na cabeça? — murmurou, mais para si do que para Nelson. Ele balançou a cabeça e virou o celular para o nadador. — Essa é a agenda que o treinador fez para hoje. E, aparentemente, é só um treino leve, embora eu não possa ver qual parte disso tudo é "leve"...

O nadador arregalou os olhos. Piscou algumas vezes e leu de novo, só para se certificar de que lera certo.

— Isso tá certo? É o mesmo que eu fazia antes do acidente. Quero voltar logo, mas não tem como dar conta de tudo isso no primeiro dia de volta!

Cris virou a tela para si e pareceu surpreso.

— Ah, é... tem razão, essa é a agenda velha. No que estou com a cabeça — disse balançando a cabeça. Nelson ainda viu seu sorriso por trás dos lábios, não importa o quanto ele tentasse reprimi-lo. — Devo ter baixado e confundido de algum jeito. Foi mal.

— Você fez de propósito só pra me ver nervoso. — Nelson encarou-o com uma expressão vazia.

— Eu nunca faria isso — respondeu Cris com uma voz inocente falsa, levando o celular para mais perto do rosto, a fim de esconder sua expressão.

— Sabe, atuação não é o seu ponto forte.

Cris riu.

— Isso é a sua opinião — disse após parar de rir. Então mostrou a tela de novo. — Aqui está seu treino real.

Nelson olhou para seu assistente por um segundo antes de olhar para o celular.

— Um pouco pesado pra quem literalmente voltou hoje. Mas gostei. O treinador me conhece mesmo.

O nadador já estava se aquecendo quando Cris bloqueou seu caminho com uma perna.

— Calma lá. Antes que tenha expectativas, preciso dizer que você não deve dar tudo de si. Ordens do treinador.

— Então por que me obrigar a fazer tudo isso?

— Ele quer conferir se você tem qualquer especialidade.

O nadador e o assistenteRead this story for FREE!