Capítulo 11

12.3K 1.2K 1K

Enquanto caminhavam para fora do banheiro, Harry quis se certificar de que não havia ninguém por perto. A escola tinha liberado há um tempo, então eles estavam quase certos de que estavam ali sozinhos. Depois de um momento, para pegar sua bolsa e permitindo que Louis colasse sua mochila sobre o ombro esquerdo. Harry pegou a mão direita de Louis e o puxou para o corredor.

"Vamos, eu conheço um atalho."

Harry levou Louis pelos corredores, caminhando rapidamente para que ninguém os visse. Louis não podia fazer nada, a não ser manter seus olhos para baixo e manter a mão interligada com os dedos de Harry. O menino menor apenas olhou com espanto, quando foi levado para um corredor que ele estava certo que nunca tinha visto antes.

Seu ritmo acelerado forçou Louis a correr em certos momentos para manter-se junto aos seus passos longos, nunca liberando seu aperto forte, mas delicado, da mão do garoto.

Eles finalmente deslizaram através de uma porta marcada "Saída de Emergência", e por um momento, Louis achou que eles iam detonar algum tipo de alarme. Mas eles saíram da escola sem impedimento e fez o seu caminho em um pátio atrás de um prédio que Louis nem sabia que existia.

"Essa é a escola primária, e aqui é o pátio, então estamos seguros aqui.", explicou Harry. Ele tirou a jaqueta, colocou-a no chão e sentou-se embaixo de uma grande arvore de carvalho. Era meado de outono, por isso a maioria das folhas já tinha caído da arvore, formando um travesseiro macio e confortável para se sentar. Ele fez sinal para que Louis se juntasse a ele, que deixou cair à mochila e sentou-se debaixo da arvore ao lado de seu novo amigo.

Ambos se sentaram calmamente a sombra da arvore, com a brisa fresca assobiando em torno deles. Ninguém falava, era como se eles não tivessem certeza de como proceder. Ambos sabiam que havia questões a discutir, mas nenhum deles sabia por onde começar. Depois de mais alguns momentos de silencio, Harry virou-se para Louis e pegou sua mão mais uma vez.

É agora ou nunca.

"Eu sei que você provavelmente não quer falar sobre isso, mas eu realmente preciso dizer muito obrigado. O que você fez por mim, me defendendo, significou muito."

Para surpresa de Harry, Louis, embora ainda se recusando a fazer contato visual com Harry, respondeu imediatamente.

"Só lamento ter demorado tanto."

Harry sorriu e soltou a mão do menino: "Eu sinto muito por você ter se machucado. Você provavelmente me odeia por isso."

Louis virou a cabeça para encontrar os olhos de Harry, o seu próprio brilhando cheio de sinceridade. "Eu nunca poderia te odiar, e eu faria tudo de novo para você amanhã."

Harry corou ligeiramente, sem saber como responder.

"Eu ia te dizer."

Foi dito num murmúrio abafado, que Harry mal tinha certeza do que tinha ouvido. Ele olhou para Louis, que estava sentado, imóvel, olhando para o chão. Harry esperou pacientemente se o menino diria mais.

"Eu simplesmente não estava pronto ainda. Eu não estava pronto para que os outros descobrissem." Louis finalmente levantou a cabeça e olhou para Harry. Era evidente por sua expressão facial que ele estava preocupado com o que o outro garoto pensaria de sua falta de coragem.

"Eu ainda não estou pronto para que todos possam descobrir."

Louis podia sentir uma única lagrima pelo seu rosto. O rosto de Harry instantaneamente suavizou quando ele trouxe o polegar pra cima e gentilmente limpou a lagrima antes colocando o rosto de Louis em suas mãos.

"Nós vamos passar por isso, juntos", disse o rapaz quebrado, olhando diretamente em seus olhos.

'Você me odeia?" Louis perguntou com uma voz quebrada.

More Than Meets The EyeWhere stories live. Discover now