O Porquinho Está Com Fome?

590 19 14
                                                  

Eu sempre gostei de ficar na frente do computador até tarde, na verdade eu sempre gostei de entrar em chats aleatórios e rir dos velhos que se masturbavam em frente à câmera do chat, era muito divertido falar que o pênis deles era pequeno e ficar rindo forçadamente, eu os humilhava e adorava isso, afinal porque não devolver ao mundo o que ele me deu?

Talvez seja por não ter amigos e ser meio solitário, ou por simplesmente gostar de assistir a vergonha alheia, isso não deve ser natural de um garoto de 17 anos.

Uma noite, no mesmo ato em que eu estava de procurar algum pênis para rir, sentado em minha perfeita cadeira giratória em meu quarto quase completamente escuro, era meia noite e doze, eu achei um vídeo, era de um quarto, nele havia somente uma cama sem lençóis, fiquei pensando oque seria aquilo.

Ouvi gritos e alguns gemidos sendo abafados, logo eu vi uma garota aparentemente com uns doze anos e nua com um tipo de pano amarrado tão forte em sua boca que em volta dava para ver uma mancha roxa assim como em suas mãos para frente mas não em seus pés, obviamente estava amarrada há muito tempo, de primeira achei que fosse uma pegadinha, mas logo comecei a duvidar, a garota chorava muito e não parava de escorrer lágrimas de seu rosto, ela parecia assustada olhando por traz dá câmera.

Fiquei observando-a pensando em quem poderia ser essa garota, olhei para baixo e vi uma mensagem no chat.

"O porquinho está com fome?"

"Porque?" Perguntei entrando no jogo dele por curiosidade.

A garota do vídeo começou a balançar a cabeça dizendo como não, mas foi em vão, ela foi segurada pelo cabelo por alguém tão alto que pude ver seus pequenos pés serem erguidos no ar, aquilo que a segurava foi se afastando dá tela possibilitando que eu o visse de corpo inteiro.

Era aparentemente um homem, bem alto, parecia ter dois metros e mais alguns sentimentos aliás, com um tipo de jaqueta bem folgada em seu corpo e uma calça velha, um facão em sua mão direita e os cabelos dá criança em sua mão esquerda, não podia ver seu rosto pois ele estava com uma máscara de porco estranhamente realista, eu poderia jurar que aquela máscara era de pele de porco.

Antes de poder prestar mais atenção em seu físico ele jogou o facão na cama e retirou sua calça que por sinal estava bem suja, ficou nu dá cintura para baixo, pegou o facão novamente e arremessou-o contra uma das pernas dá garota, acertou bem na coxa, ela gritou muito de dor, então o sangue começou a escorrer e ele alternava entre passar o pênis no sangue e lamber a coxa dela.

Uma cena bem escrota de se encontrar, pensei em sair do chat, até queria, mas não conseguia, como se meu corpo estivesse paralisado, meus olhos não queriam desviar o olhar, algo estava muito errado, por algum motivo comecei a salivar, meu pênis endureceu de excitação, aquilo estava me controlando e eu estava gostando.

Menos de três minutos depois ele fez a garota se deitar na cama, de joelhos porém com o rosto espremido sobre o colchão, enfiou então o dedo em seu anus tão pequeno quanto um buraco de agulha, então ele retirou o dedo e começou a bater a ponta do facão em suas nádegas lisinhas e macias, enquanto pequenas quantidades de sangue jorrava ele tirou o pano dá boca dá menina e ela gritou muito e chorava, ela não era desse país pois implorava por liberdade em outra língua, parecia americana.

Gritos finos e delicados seguidos de gemidos de dor, nossa meu pau ja estava muito lubrificado, não suportei aquela cena, tirei meu pau pra fora e comecei a me masturbar enquanto o homem com cara de porco furava as costas dela e esfregava o pau enorme em sua bundinha cheia de sangue.

Eu estava amando aquilo, era fantástico, então eu vi aquela penetração perfeitamente lenta e ela se contorcendo e tentando sair, ele então acelera rapidamente e todos aqueles 26 centímetros assustadoramente grossos entra por inteiro em seu anus, nunca ouvi um grito tão desesperado e longo como o dela, ele aguardou com o pau em seu anus por exatos 4 segundos e vi o sangue escorrer, então começaram os movimentos de entra e sai lentos e rápidos enquanto ela não parava de gritar e chorar quase rouca de tanta dor.

Enquanto ele a estuprava pelo anus cortava as pernas dela com leves alisamentos com aquele facão tão bem amolado, ele começou a ficar mais agressivo e entrava muito rápido e forte nela, colocava o pau todo dentro daquela bundinha pequena que escorria sangue sem parar, então antes que a menina morresse de hemorragia interna ele cortou sua garganta e tirou sua virgindade vaginal extremamente rápido numa enfiada só, ela ainda estava viva enquanto ele a estrupava toda.

E ele continuou violentamente e prazerosamente Até seu último contorcimento,

Por fim eu já tinha gozado, mas ele não, logo foi até a garganta dá garota, terminou de separar sua cabeça de seu corpo e enfiou o pau na garganta dela pelo pescoço até sair pela boca e furou seus olhos.

Eu ainda o observava e por fim ele fez o mesmo com o corpo dela, pelo buraco dá garganta ele enfiou o pau até onde ele conseguisse e ficou 5 minutos estuprando a garganta dela até gozar dentro do estômago.

Eu então vi ele abrir seu estômago e retirar aquela quantidade absurda de esperma e jogar na cara dela.

O chat finalizou, não sei quem era ele e nem quem era a criança.

Mas nunca vou esquecer o quanto de prazer aquilo me proporcionou.

Meu nome é Jeremy, estou com 19 anos e em um corredor dá morte.
Matei, esquartejei  e estuprei 14 criança sendo 4 meninos e todos entre 3 e 11 anos.

Vou ser eletreucutado até a morte, mas uma coisa eu não entendo.

Porque eu tenho que pagar pelo que o cara de porco fez?

Ouvi relatos de que ainda tem crianças sendo encontradas esquartejadas e cheias de esperma com seus orifícios alargados.

Isso me excita tanto...

   O PORQUINHO ESTÁ COM FOME!


Créditos: http://aminoapps.com/p/9wdzzx

Lendas UrbanasOnde as histórias ganham vida. Descobre agora