Capítulo 28 - Hellen

257 15 16

MÚSICA: "SIN DOLOR" - LILI GOODMAN

"Pero Dios no nos dejará permanecer allá más tiempo de lo que podamos soportar"

Deus sabe exatamente onde está o nosso limite. Ele não nos deixará permanecer na mesma situação mais tempo do que podemos suportar. É necessário que tenhamos consciência disso. Muitas vezes culpamos a Deus por algo que está acontecendo conosco no presente, ou murmuramos por acharmos que Ele não nos vê, ou mesmo que está nos testando além das nossas forças.

"Não vos sobreveio tentação alguma que ultrapassasse as forças humanas. Deus é fiel: não permitirá que sejais tentados além das vossas forças, mas com a tentação ele vos dará os meios de suportá-la e sairdes dela." (1 Coríntios. 10:13)

Mas ele sempre nos dá o escape, e nos mostra que podemos aguentar mais do que imaginamos. Quantas vezes repetimos as mesmas palavras? "Deus, eu não aguento mais, por favor, me dê uma nova canção!" Mas, contrariamente ao que imaginamos, Ele não muda o nosso quadro de imediato. Insensibilidade, indiferença? Não mesmo! Ele sabe que podemos seguir mais uma milha, e aprender ainda mais com Ele na situação em que estamos. Como um elástico se torna mais flexível? Quando o esticamos até o seu limite, sem deixá-lo quebrar.

Ele sabe o que estamos sentindo, conhece os questionamentos que povoam nossa mente dia e noite. Quando o aperto na alma parece insuportável, Ele usa um de seus servos para nos dar uma palavra de ânimo e força. "A minha graça te basta." (2 Cor. 12:9)

Muitos pregadores comparam o servo de Deus a uma palmeira. O vento sopra forte e pode até envergá-la, a ponto de encostar as suas folhas no chão. Contudo, quando a tempestade passa, a palmeira se ergue novamente, revigorada, e imponente após a dificuldade. Podemos comparar com o agir de Deus em nossas vidas. Ele nos leva ao deserto, caminha ao nosso lado até ao que pensamos ser o nosso limite.

Porém, quando a tempestade passa, vemos o quanto crescemos naqueles momentos que pareciam ser o prenúncio do nosso fim. E o que parecia ser nosso limite, era apenas mais uma fase.

Muitas vezes em minha caminhada me questionei como Deus realizaria as suas promessas em minha vida. Era um mistério para mim, um mistério que eu queria, mais que tudo, desvendar. Me questionava vezes sem conta sobre como Ele faria, como tudo ficaria bem no final. Parte de mim lembrava da lógica dos filmes, no final tudo fica bem; outra parte ainda estava na ansiedade.

Pensava sobre isso enquanto olhava o calendário na parede do meu quarto, a maior parte do ano riscada, o tempo estava passando muito rápido! Era uma quarta-feira preguiçosa, o sol preguiçoso ainda banhando a cidade com o seu calor em potência máxima.

Ainda estava pensando sobre isso, quando recebi uma mensagem no celular. Olhei no visor, era o Marcos.

"Amor, minha mãe e eu vamos sair pra o shopping daqui a pouco, você pode vir com a gente?"

Sim, eu queria muito sair de casa! E ter aqueles dois como companhia seria excelente! Corri para a sala e perguntei aos meus pais se poderia acompanhá-los no passeio. Após algumas (várias) recomendações, me liberaram.

Não precisei de dez minutos para estar completamente pronta, de cabelo lavado e roupa passada. Queria aproveitar ao máximo o tempo com meus futuros familiares. Mandei uma mensagem de volta para Marcos, confirmando que iria e já estava pronta. Dois minutos depois, ele já estava na porta. Saiu do carro, colocando o cabelo bagunçado pelo vento, no lugar.

---- Misericórdia, meu filho, você dirigiu ou sobrevoou a cidade? ---- Falou meu pai, rindo.

---- Sabe como é, sogro? A minha querida já estava pronta, não poderia fazê-la esperar. ---- Fez uma mesura para o meu pai.

Liberdade - Uma história de amor e féLeia esta história GRATUITAMENTE!