Capitulo I - Fuga

4.5K 119 4

– Onde agora?

– Você realmente quer cortar seu cabelo?

– Sim. - Eu olho para ele.

– Você está linda para mim. Você sempre está.

Eu coro e olho para os meus dedos entrelaçados no meu colo.

– E a festa do seu pai esta noite?

– Lembre-se, é com roupa à rigor.

Oh Meu Deus.

– Onde será?

– Na casa dos meus pais. Eles têm uma marquise. Você sabe, as obras.

– Qual é a caridade?

Christian esfrega as mãos em suas coxas, parecendo desconfortável.

– É um programa de reabilitação de drogas para pais com crianças pequenas chamadas Coping Together.

– Soa como uma boa causa. - Eu digo baixinho.

– Vem, vamos embora. - Ele se levanta, parando efetivamente o tema de nossa conversa e me oferece sua mão. Quando eu a pego, ele aperta os dedos em torno de mim. É estranho. Ele demonstra tanto afeto em algumas vezes, e em outras é tão fechado. Ele me leva para fora do restaurante, e caminhamos pela rua. É uma manhã linda, leve. O sol está brilhando, e o ar cheira a café e pão acabado de sair do forno.

– Aonde vamos?

– Surpresa.

Ah, ok. Eu realmente não gosto de surpresas.

Andamos por dois quarteirões, e as lojas tornam-se decididamente mais exclusivas. Eu ainda não tive a oportunidade de explorar, mas isso realmente é ao virar da esquina de onde eu moro. Kate vai ficar satisfeita. Há uma abundância de pequenas lojas para alimentar a sua paixão por moda. Na verdade, eu preciso comprar algumas saias para o trabalho. Christian para na frente de um grande salão de beleza, de aparência chique e abre a porta para mim. Chama-se Esclava. O interior é todo branco e couro. Na recepção de um branco puro se senta uma jovem loira com um uniforme branco. Ela olha para cima à medida que entramos.

– Bom dia, Sr. Grey. — Ela diz com brilho, a cor crescendo em seu rosto, enquanto ela pisca seus cílios para ele. É o efeito Grey, mas ela o conhece! Como?

– Olá, Greta.

E ele a conhece. O que é isso?

– É o de costume, senhor? — Ela pede educadamente. Ela está usando batom rosa pink.

– Não. - Ele diz rapidamente, com um olhar nervoso para mim.

O de sempre? O que significa isso?

Caralho! É a Regra nº 6, e o maldito salão de beleza. Todas as regras sobre depilação a cera... merda!

Este é o lugar onde ele trouxe todas as suas subs? Talvez Leila, também? O que diabos eu vou fazer com isso?

– A Srta. Steele vai dizer o que ela quer.

Eu olho para ele. Ele está introduzindo as regras com discrição. Eu já concordei com o personal trainer, agora isso?

– Por que aqui? - O acuso.

– Sou dono deste lugar, e de mais três como este.

– Você é o dono? - Eu suspiro de surpresa. Bem, isso é inesperado.

– Sim. É uma linha alternativa. Enfim, o que você quiser, você pode tê-lo aqui, por conta da casa. Todos os tipos de massagens; sueca, shiatsu, pedras quentes, reflexologia, algas, tratamento facial, todas essas coisas para as mulheres, tudo. Tudo isso é feito aqui. - Ele acena a mão com dedos longos, com desdém.

50 Tons de IraWhere stories live. Discover now