Capítulo 16 - Naiá

946 111 56

E que comece a aventura e as lutas... Uhulll! 

~**~

Meus pés atingiram o chão e eu caí para frente, respirando profundamente em busca de ar e tossindo toda a água acumulada em meus pulmões. Doía, talvez até mais do que quando quase me afoguei chegando em Chidiyon e até mesmo respirar fazia um barulho alto que ecoava dentro de mim. A água escorria ao nosso redor e percorria seu caminho para frente. O som dos outros também tentando puxar o ar era bem audível, mas eu estava feliz que eles não estavam aparentemente machucados. Me joguei no chão com o corpo todo dolorido e sem condições de abrir os olhos. Sentia minha pele grudenta e minhas roupas pesadas, não parecia apenas água, era da sujeira daquele lago. Não parei para me perguntar se estava tudo bem com o conteúdo da minha mochila, naquele momento eu só queria respirar ar puro.

Pouco tempo depois, abri os olhos para encarar a todos também no chão. Alguns sentados, outros deitados e me surpreendi ao ver Giovanna ainda em sua forma sereia. Era assustador vê-la de corpo inteiro tão perto de mim, mas ao mesmo tempo fascinante. Até mesmo ela e Ben ofegavam.

- Esse foi o pior começo que eu já enfrentei – Julie murmurou de onde estava e pensei no início das outras missões. O ettin também não tinha sido nada agradável – Eu achei que fosse morrer, não tinha mais ar algum dentro de mim.

- Eu disse, aquele guardião não era confiável. – Ben concordou deitando no chão

- Ele só estava fazendo o trabalho dele, são os deuses os responsáveis por fazerem os desafios – Respondi, pois era a verdade – Além disso, sem eles estaríamos mortos.

Me sentei no chão com dificuldade e notei a sujeira em seus corpos, a minha roupa não estava diferente e eu sabia que meu rosto também não. Era uma sensação ruim e agoniante ficar com aquele peso sobre mim. Eles ao menos assentiram com o que eu disse.

- Quando coloquei sua mão sobre o entalhe, ela brilhava, mas os portões não queriam ser abertos. Foi aí que lembrei do pôr do Sol, provavelmente ele ainda não tinha acontecido – Giovanna informou me olhando e foi aí que entendi como tínhamos aberto aquele caminho.

- O que importa é que conseguimos – Chris pronunciou e veio para perto de mim – E principalmente que estamos bem.

Concordamos e logo em seguida o silêncio dominou mais uma vez o recinto.

- Estou exausta! – Julie disse com um gemido enquanto virava no chão, foi nesse minuto que Giovanna simplesmente voltou a sua forma humana, bem na nossa frente, assustando a todos

- Ainda preciso me acostumar com isso – Falei para ela que sorriu e se levantou do chão

- Todos estamos exaustos, mas precisamos continuar. Aliás, onde nós estamos?

Com a fala de Benjamin parei para observar o local onde tínhamos caído. Encarei o chão de pedra e o teto igualmente acinzentado e com o mesmo material. Parecia uma caverna, sem dúvidas, se não fosse o local logo mais à frente. Havia umas pedras para serem puladas e logo depois, começava mais um lago, de onde eu estava apenas consegui perceber que depois do lago, iniciava-se uma espécie de floresta.... De novo! Eu estou realmente cansada de árvores!

- Eu não faço a menor ideia. – Respondi avaliando cada detalhe daquele lugar

- Devemos estar no caminho que nos levará até Eldorado. É a explicação mais plausível.

- Julie tem razão, isso significa que teremos que enfrentar muita coisa ainda – Giovanna comentou olhando diretamente para mim, talvez pensando que eu sabia de algo. Eu não tinha nada concreto, porém não era novidade que as sensações do meu corpo me davam respostas e nesse minuto em especial ele estava me deixando em alerta.

O Mistério de Allíshya - Perdida | Livro 03Leia esta história GRATUITAMENTE!