Capítulo 7 - Fiquei com seu número.

55 10 2
                                                  


Acordei com o sol batendo no meu rosto. Movi meus pés por cima do cobertor e me senti muito confortável.
Lembrei da noite anterior e fui tomada por um misto de sentimentos confusos.
A felicidade por ter dançado com Raphael e a tristeza por ter entendido que aquilo aconteceu apenas para que ele chegasse na sua ex-namorada.
Tateei minha mão no criado mudo até encontrar meu celular.
Já passava do meio dia e vi que havia muitas mensagens.
Li primeiro a da Flávia.
"Passo na sua casa de tarde, tenho boas notícias."
Depois li a do Rodrigo.
"Está tudo bem? Ainda está dormindo? Te liguei algumas vezes. A Flávia também"
Respondi falando que estava tudo bem, apenas havia dormido até àquela hora. Respondi a Flávia dizendo que eu não poderia estar mais ansiosa.
Havia mais umas três mensagens da Flávia.
Levantei e fiquei zonza.
Tomei um banho demorado e depois sentei no sofá e fique olhando para a parede. Eu não havia bebido nada alcoólico aquela noite, porém eu me sentia completamente estranha.
Sentei em uma cadeira na sacada.
Olhei para o movimento de São Paulo.
Meus olhos se dirigiram involuntariamente para o apartamento de Raphael, fiquei imaginando tudo o que poderia ter acontecido ontem.
Não sei quanto tempo exatamente eu fiquei olhando, mas provavelmente foi bastante pois Raphael apareceu na sacada bebendo alguma coisa.
Ele olhou para mim com o rosto sério.
E eu tentei me manter igual, agora parecíamos tão distantes, apenas vizinhos.
Então ele sorriu para mim. E gesticulou algo que eu não entendi, então saiu da minha vista. Levantei da cadeira e fiquei olhando fixo para a sacada dele, esperando alguma coisa acontecer.
Então ele voltou. E estava segurando um caderno.
Escreveu em uma folha alguma coisa e levantou para eu ler.
Tentei a todo custo ler o que estava escrito, mas entendi algo do tipo: "Qal eu vulmo"
O quê?
Fiz que não entendi.
Ele fez uma cara de impaciente e eu ri.
Escreveu em folhas separas de canetão preto e me mostrou novamente enquanto passava as páginas.
"Qual"
"Seu"
"Número?"
Aquilo fazia bem mais sentido.
Fiz sinal para que ele esperasse e corri para meu quarto.
Peguei um caderno e escrevi bem grande "962946196"
Voltei para a sacada e mostrei para Raphael. Que agora estava segurando um celular.
Ele fez um sinal com a mão após ler o número.
E eu fiquei um pouco nervosa.
Peguei meu celular.
E ele apitou.
Meu coração bateu forte e rápido.
Eu li a mensagem.

"Por aqui fica melhor.

Raphael"

Sorri.
Olhei para ele, na sacada, e ele também sorriu.
"Por aqui fica bem melhor.

Annabel"

Como Eu Conheci Você Onde as histórias ganham vida. Descobre agora