⚠ Fifty-Five ⚠

Começar do início

     Foi quando seus olhos vieram de encontro aos meus, meu corpo encostado na porta do veículo, tentando lhe jogar um pouco de charme. Seus braços vieram para envolta de meu pescoço, quando puxei sua cintura com certa força, e selei seus lábios, ali mesmo no meio da rua. Não me importei com testemunhas, todos estavam cansados de saber a quem aquele garoto pertence, não custa nada mostrar a eles que ainda estou vivo, e mais forte que nunca.

     -Wow, Jungkookie! –O mais novo disse se separando, suas bochechas estavam extremamente vermelhas. –Não esperava essa surpresa.

     -Espera só até chegarmos em casa. –Sussurrei em seu ouvido. –Hoje você não me escapa, Bebê!

     -Hey! Já está assim? A médica te liberou? –E lá estava ele, levando as mãos até a parte traseira de minha calça, deixando um aperto de leve em minhas nádegas, fazendo minha leve ereção se prensada contra deu abdômen. –Hum... Meu alfa está cheio de energia.

     -E a casa está fazia, amor. –Falei o prensando contra a porta do carro. –Teremos o fim de semana inteiro para te fazer perder a voz.

     Vi seus pelos eriçarem quando o prensei um pouco mais forte, arrancando um leve gemido que foi calado por meus lábios urgentes. Estava matando a saudade dos beijos, abraços, amassos, tudo o que fui privado e que tenho direito. Abri a porta para o mesmo, que se acomodou no banco do carona, dirigi o mais rápido possível pra casa, e no meio do caminho, quase perdi a direção, quando senti suas mãos adentrarem minha calça jeans. Céus! Seu toque parecia tortura para alguém que ficou quase três meses sem senti-lo. Pensei que fosse chegar ao meu limite, apenas por sentir a maciez e a temperatura agradável de suas mãos cobrindo meu membro completamente ereto, que pulsava ansiosamente para estar em seu interior.

     Nem mesmo estacionei corretamente, deixei o carro de qualquer forma no jardim. Mas antes de sairmos, Jimin pulou para meu colo, rebolando sobre minha ereção ainda apertada na boxer. O ômega estava provocando, e não usou muita força para empurrar o máximo possível aquele maldito banco. Seus lábios atacaram os meus com selvageria, achei que fosse apenas eu com saudades, mas não, o ômega se encontrava sedento. Senti suas mãos arrastarem levemente o tecido pesado do jeans para baixo, junto com a boxer, e com seu sorriso sapeca, já sabia qual era sua intenção, mas não o queria, não ali.

     -Bebê! Aqui nã... –Jimin me encarou sério, levando os lábios para meu pescoço, enchendo a área de beijos, antes de se aproximar de sua orelha.

     -Calado, Jungkookie! –O mais novo disse encarando meus olhos profundamente, na medida em que intensificava os movimentos, envolta de meu membro. –Apenas geme, amor. Quero ouvir esse som rouco que tanto me fez falta.

     -Ah, Jiminnie! –Joguei a cabeça para trás, sentindo meus músculos receberem tão bem seu toque. –Eu quero você, Jiminnie!

     -Você vai me ter, mas antes... –Seus beijos desceram por meu peitoral, e fui surpreendido por seus lábios sobre meu membro, causando uma tremedeira inexplicável. –Antes eu vou fazer você chegar ao seu limite, Jeon-ssi.

     Tremi, ouvi-lo falar daquela forma me deixou maluco, como se fosse um dominado, ou um trado sexual, mas foi eu quem o deixou assim, fui o grande responsável por tirar a inocência e a pureza daquele ser, e da mesma forma que apenas eu, poderei fazê-lo gemer até ficar completamente rouco. E céus, estou com tanta vontade de tomar o corpo de Park, que possivelmente o impedirei de se mover por alguns instantes, sem contar com a sorte de não termos vizinhos, pois se tivéssemos, seriam obrigados a ouvir seus gemidos por uma noite inteira, ou melhor, pelo fim de semana.

     Seus lábios contornavam meu membro, fazendo meu abdômen se contrair, seus toques leves e excitantes, seus lábios perfeitamente inchados, algumas gostas de suor em sua testa, assim como seu cabelo estava meio úmido, e suas bochechas rosadas, não diferentes das minhas, que sentia queimar a cada vez que o desejo me consumia. Me sentia um pecador, mas ao lado de Jimin afirmo ser um pecador sem arrependimentos, meu ômega é o próprio pecado, a condenação desenhada em carne, osso, luxuria e desejo, pronto para me mandar tobogã para o inferno.

Sweet Poison ⚠ Jikook ABO ⚠Leia esta história GRATUITAMENTE!