Último beijo

1K 73 46

LEIAM ATÉ O FINAL

~Elizabeth Cooper

As aulas de hoje já tinham acabado, Jughead me deixou em casa.
- Tem certeza que quer ficar aí?- Ele me pergunta me fazendo lembrar do hospital psiquiátrico.
- Tenho que conversar com a minha mãe, ela tem que entender que eu não consigo ficar sem ver a minha irmã.- Respondo sorrindo de lado.
Jughead se aproximou me dando um beijo.
- Então...- Ele me afastou.- Boa sorte.- Ele deu um sorriso sem descolar os lábios.
- Tchau.- Retribuo o sorriso e depois entro dentro de casa.
Logo quando fecho a porta e me viro para a escada, minha mãe estava parada a minha frente com os braços cruzados.
- Onde passou a noite?- Ela perguntou chegando perto de mim.
- Com o Jughead.- Respondo dando um paço na direção dela.
- Porque não avisou?
- Eu estava com medo do que você iria fazer quando...- Eu comecei mas fui interrompida por um abraço da minha mãe.
- Nunca mais faça isso.
- T-tá mãe.- Eu estava sendo sufocada por aquele abraço apertado.- Já pode me soltar.
      Ela se afastou ainda segurando meus braços, ela deu um sorriso de lado e ficou me olhando.
- Sobre o hospital psiquiátrico...- Fui interrompida novamente pela minha mãe, mas dessa vez não foi um abraço, ela colocou a mão na minha boca.
- Shhhhh!- Ela olhou para a escada e depois voltou a olhar para mim.- Seu pai não pode saber que você esteve lá.- Sussurrou.
- Só você sabe quem visita a Polly?- Questiono e ela afirma com a cabeça.- Pensava que você iria ficar brava.
- Claro que não.- Ela respirou fundo.- Eu sabia que algum dia você iria descobrir aonde ela estava. Pago eles bem.
- Polly disse a mesma coisa.- Dou uma leve risada.

~Jughead Jones

      Depois de deixar a Betty em casa, eu vou para a minha. Chegando lá, meu pai estava andando de um lado para o outro na sala.
- Pai.- Comecei colocando minha mochila em cima do sofá.- O que aconteceu?
- Jughead.- Ele se virou para mim e foi na minha direção.- Você não deveria ter se tornado um serpente.
- O que aconteceu?- Um tipo de desespero começou a tomar conta de mim.
- Não é bom, nem um pouco bom.
      Ele ainda estava elétrico, andando de um lado para o outro.
- Acho melhor você ir para lá...- Ele falou.
      Fui correndo para o meu quarto pegar minha jaqueta dos serpentes, e depois saio disparado de casa em direção a moto e acelerei o máximo que pude para chegar o mais rápido. Chegando lá eu estaciono a moto e vou correndo até o bar dos serpentes.
- Jones!- Tall Boy falou se virando para mim.- Chegou na hora certa.
      Ele estava falando com a Toni que estava com uma cara de pena e dó. Ela se aproxima de mim.
- Não deveria ter contado para mim que tinha uma namorada do Norte.- Ela sussurra perto do meu ouvido.
- Você contou?!- Me viro para ela desesperadamente.
- Eu ia ser expulsa se não contasse, Jughead.- Sinto o mesmo desespero de antes tomar novamente o meu corpo.- Eu sinto muito.
      Toni começa a andar em direção ao Sweet Pea, que estava sentado em um banquinho perto do bar. Olho para Tall Boy que estava sorrindo e olhando para mim.
- Você já sabia né?- Ele se aproxima de mim.
- Sabia de que?- Questiono arqueando uma sobrancelha.
- Que não se pode ter relacionamentos com uma do Norte.- Ele ainda estava com aquele sorriso maléfico no rosto.
- Eu não vou terminar com ela.- Falo olhando para Tall Boy.- Comecei a namorar com ela antes de me tornar um serpente, eu não posso simplesmente acabar tudo assim tão de repente.
- Você pode sim, e vai.- Tall Boy se aproximou de mim.- Ou algo de ruim vai acontecer com ela.
      Respiro o mais fundo que posso, sinto meus olhos encherem de lágrimas.
- Só não chore.- Tall Boy ainda sorria.
      Sai o mais rápido que pude lá de dentro, empurrando qualquer pessoa que estava a minha frente. Subo na minha moto e chego o mais rápido possível em casa.
- Então, o que aconteceu?- Meu pai pergunta logo quando eu entro em casa.
      Eu não respondo e vou correndo em direção ao meu quarto. Meu pai já deve ter percebido que não foi nada bem lá. Eu tranco a porta e me sento no chão apoiando minhas costas na cama.
      Lágrimas saiam dos meus olhos rapidamente, eu nunca havia chorado tanto assim na minha vida, até mesmo quando minha mãe foi embora com Jellybean.

~Elizabeth Cooper

Depois de um demorado tempo em baixo do chuveiro. Eu me sento na cama para ler um livro, ainda com o cabelo molhado.
Como sempre, eu me perco totalmente lendo livros, perco a noção de hora. Graças a uma notificação da operadora do celular, eu consegui ver que já estava bem tarde para continuar acordada lendo um livro.
Então, guardo meu livro na estante do meu quarto e volto para a cama, me deito e pego no sono rapidamente.

Acordo tarde, em um sábado de chuva e com o céu totalmente nublado. Desço a escada, ainda de pijama, meu cabelo estava bagunçado e ainda não conseguia abrir muito bem os olhos.
Já estava na sala quando eu olho de um lado para o outro, e não vejo ninguém. Procuro um bilhete em algum lugar, mas não encontrava nada. Eles deveriam estar no hospital psiquiátrico. Deixei de lado, não iria me estressar à toa.
Fui até a cozinha e preparei um cereal. Me sento no sofá, ligo a televisão e como meu cereal.
Estava na metade do meu cereal, quando ouço o meu celular chamar de dentro do meu quarto. Subo a escada correndo e consigo chegar a tempo para atender o celular, nem vi quem era, não dava tempo, eu apenas atendi e coloquei na orelha.
- Alô?- Falo com um pouco de dificuldade na respiração, por ter corrido como o Flash pela escada inteira.
- Betty.- Escuto uma voz fraca vindo do outro lado da linha. Era Jughead, estava com voz de choro.
- Jug, tudo bem?- Questiono me sentando na cama.
- Me desculpa, Betty...
- O que aconteceu?
- Não pode mais falar comigo, nunca mais e fica longe de mim.
Meus olhos enchem de lágrimas.
- Jughead...- Eu ia começar a falar, mas ele desligou na minha cara.
As lágrimas foram caindo molhando minhas bochechas. Ainda estava com o celular na orelha, paralisada, olhando para frente com os olhos arregalados. Ficava pensando em como eu iria fazer para não ver ele, estudamos na mesma escola, mas veio o pensamento da escola do Sul, aonde a maioria das gangues da cidade estudavam. Mas esse não era o meu maior problema agora, Jughead tinha terminado comigo, por uma ligação estranha. Tinha algo acontecendo, ele não iria fazer isso, não desse jeito.
Tento ligar para ele de novo, mas nada, ele não me atende. Minha outra opção era ligar para a Veronica, então foi isso o que eu fiz. Ela atendeu o celular na segunda chamada, rápida demais.
- Betty, o que foi?- Ela fala como se estivesse ocupada com alguma coisa.
- Está ocupada?- Questionei. Do outro lado da ligação consigo ouvir a voz de um homem, parecia a voz de Archie, eu estava atrapalhando alguma coisa.
- Não, pode falar.- Ela responde, consigo ouvir uma risada do mesmo homem -Archie- perto de Veronica.
- Jughead terminou comigo por...- Eu ia terminar de falar, quando fui interrompida por Veronica.
Meu Deus, todos me interrompem!
- O que?! Como assim?! Ele não faria isso!- Veronica respondeu.
- Mas fez, por uma ligação.- Completo.
- Jughead não faria isso, tem alguma coisa de estranho.
- Eu também acho, mas ele parecia estar chorando enquanto falava comigo.
- Puxa Betty. Nunca imaginaria. Mas ainda acho que tem alguma coisa de errado.- Ela da uma pequena pausa.- Betty, posso te ligar depois?
- Claro.- Respondo.
- Tchau, amiga.- Ela fala e depois desliga.
Estavam todos estranhos ultimamente, mas agora eu só queria saber o porque de Jughead ter terminado comigo.

Tadinha da Betty, mal sabe ela que ele fez isso para protegê-la
</3
Espero que tenham gostadoooo
Bjinhos

Muito obrigada pelas 1000 viewssss eu estou muuuito feliiiz
Amo vcs meu xuxus <3

Vocês já querem que a fanfic acabe no capítulo 30? Ou querem mais?

a love story. ❃ bugheadLeia esta história GRATUITAMENTE!