*Psst* Notice anything different? 👀 Find out more about Wattpad's new look!

Learn More

O que é melhor para você

1.9K 124 9

Dois capítulos no mesmo dia, que milagre não é mesmo? kkkkk
Espero que gostem <3

~Jughead Jones

      Depois de deixar Betty em casa. Vou para a minha casa, esperava encontrar meu pai, conversar com ele sobre o que aconteceu.
      Fui andando até casa, quando cheguei a moto do meu pai já estava na frente de casa.
      Abro a porta, e vejo meu pai jogado no sofá. Latinhas de cerveja e garrafas de whisky em cima da mesa de centro da sala.
- Meu Deus, pai.- Falo indo até ele.
      Ele olha para mim, com aquela cara de acabado.
- Vem.- Faço força para levantá-lo, para levar ele até o seu quarto.
      Deito ele em sua cama e pego uma garrafa d'água para deixar no quarto dele. Depois pego um saco de lixo vazio para colocar todas aquelas coisas da sala.
      Coloco tudo dentro do saco de lixo e depois vou até o meu quarto.
      Estava pensando em como dizer para Betty que eu tenho que participar de uma gangue para ajudar meu pai. Eu realmente não sei como falar para ela. Ela pode ter qualquer tipo de reação, me entender, querer fugir e nunca mais querer falar comigo por causa disso. E eu tenho medo da decisão dela.
Sem perceber, eu acabei pegando no sono.

~Elizabeth Cooper

Acordo de novo com o meu celular despertando. Fico mais alguns minutos na minha cama, depois eu respiro fundo e me levanto.
Coloco uma roupa, dessa vez prendi meu cabelo em um rabo de cavalo e passo o mesmo batom que usei no primeiro dia de aula.
      Desço a escada, e já saio direto de casa, como eu não sinto fome de manhã. Então eu vou para a escola.
      Chegando lá, eu entro e vou em direção ao meu armário, pego os livros, e percebo que cheguei cedo demais, então decidi dar uma volta pela escola, como eu tinha recusado que alguém me mostrasse a escola no primeiro dia.
      Cheguei em um corredor vazio, que tinha apenas um banheiro, bebedouros e o armário do zelador. Vou até o banheiro para ver a situação do meu cabelo, e quando eu abro a porta, me deparo com Archie e Veronica se beijando.
- Aí meu Deus!- Fecho a porta rapidamente e depois dou uma risada leve.- Meu Deus.
      Vou até o corredor principal de novo, onde estava meu armário, e depois entro na minha sala.

~Jughead Jones

      Eu acordo, e decido não ir para a escola, fico em casa para cuidar da ressaca pesada do meu pai. Me levanto da cama, e bato na porta do quarto de meu pai.
- Pai?- Abro a porta, e ele estava deitado na cama, parecia estar desmaiado, mas não estava.- Tudo bem?
- Não.- Ele estava deitado de bruços, seus olhos abriram e olharam diretamente para mim.- Estou com dor de cabeça.
      Ele fecha os olhos novamente e vira a cabeça para o outro lado.
- Quer aspirina?- Pergunto me sentando na ponta da cama.
- Não. Vai passar logo.
- Okay.- Saio do quarto e fecho a porta.
      Vou até o meu quarto e pego o meu celular que estava em cima da cômoda, e me sento na cama. Vou até o contado de Betty e mando uma mensagem.
Betty, podemos conversar mais tarde?
      Envio e depois Coloco meu celular onde estava, me deito na cama colocando minhas duas mãos no rosto e respirando fundo, ainda tentando pensar em alguma coisa para falar para a Betty. Eu com certeza não iria mentir, não quero mentir, não sobre isso.

~Elizabeth Cooper

      Estava no meio da segunda aula, quando sinto meu celular vibrar de dentro do meu bolso. Era uma mensagem de Jughead. Com o celular escondido em baixo da mesa, eu consigo responder Jug.
Claro, não vai vir hoje?
Logo ele vibra de novo:
Jughead: Não, estou cuidando de algumas coisas. Pode me encontrar no Pop's depois que você sair da escola?
Me: Posso sim. Está tudo bem?
Jughead: Está, é só alguns problemas com o meu pai.
Me: Okay. Espero que fique tudo bem.
Jughead: Obrigado, Betty. <3

Logo depois, a professora chamou a minha atenção, eu coloquei meu celular novamente no meu bolso e depois me virei para a frente.

Chegou a hora do intervalo, eu encontrei Archie em seu armário, estava passando do lado dele quando sinto sua mão segurar meu braço.
- Betty.
Dou um sorriso de lado esperando ele terminar o que ia falar.
- Hoje cedo...- Ele começou ficando envergonhado.
- Não, tudo bem.- Falo dando um sorriso.- Vocês voltaram escondidos, não querem que ninguém saiba. Para não dar problemas.
Archie solta meu braço e da um sorriso de lado.
- Obrigado.
Retribuo o sorriso.
- Jug não veio hoje?- Questionou Archie.
- Não, problemas com o pai.- Respondi olhando para baixo.
- Entendi.- Archie fechou o armário e depois se virou para mim.
Archie estava com cara de quem sabia de alguma coisa sobre o pai do Jughead. Mas deixei de lado, não deve ser tão importante.
Eu e Archie fomos até o refeitório. Veronica já estava sentada em uma mesa, mexendo em seu celular e comendo uma salada. Ela olha para mim e arqueia uma sobrancelha.
- Cadê o Jughead?
- Não veio.- Respondo me sentando ao seu lado.- Problemas.
- Ah.- Ela responde terminando de comer a sua salada.
Veronica e Archie não trocaram uma palavra, mesmo sabendo que eu já sabia que eles tinham voltado. Teve apenas uma troca de olhares estranha.

~Jughead Jones

Meu pai passou esse começo do dia dentro do seu quarto, talvez dormindo por causa da dor de cabeça.
Olhava toda hora para o relógio que tinha na parede da cozinha, vendo a hora para saber quando devo sair de casa para ir ao Pop's.
Até aí, não parava de pensar no que falar para Betty, a todo segundo eu estava pensando em uma boa conversa. Não gostaria de perder ela, de jeito nenhum.
A última vez que olhei para o relógio, faltava cinco minutos para as aulas de Betty acabarem, então eu fui até meu quarto, peguei a minha jaqueta jeans e fui com a minha moto do meu pai até o Pop's.
Cheguei no Pop's e me sentei em um dos banquinhos que tinham na frente do grande balcão principal.
Agora eu olhava toda hora para a entrada do Pop's e ainda pensava no que falar para Betty, e ainda não tinha criado alguma coisa útil para se falar.
- Jughead!- Pop falou se aproximando de mim.- Vai querer o de sempre?
- Não Pop, obrigado.- Dou um sorriso de lado, o que mostrou que eu estava nervoso para alguma coisa.
- Se quiser algo é só chamar!- Ele gritou entrando na cozinha.
Apenas afirmo com a cabeça e volto a pensar no que falar para Betty.

~Elizabeth Cooper

Depois da aula, fiz o que Jug pediu, já fui em direção ao Pop's.
Cheguei lá e entrei, fazendo aquele barulhinho de sino que sempre me irritava quando eu entrava lá.
Logo avisto Jughead sentado perto do balcão e eu me aproximo.
- Oi, Jug.- Falo me sentando ao lado dele.
- Betty, oi.- Ele respondeu se virando para mim e se aproximando para me abraçar.
Dou um abraço forte em Jughead, depois ele se afasta e fica olhando para mim.
- O que aconteceu?- Questiono sabendo que tinha algo de errado.
Ele fica algum tempo pensando e depois se vira para mim novamente.
- Eu deveria ter te contado isso antes.- Jug coloca a mão na testa, parecia tão preocupado e triste.
- O que?
- O meu pai.- Ele começou.- Ele faz, ou fazia, parte de uma gangue, chamada serpentes.
      Respiro fundo me lembrando da jaqueta da minha mãe, e da tatuagem do FP.
- Por isso ele tem aquela tatuagem?- Questiono.
- Sim.- Jughead responde respirando fundo.
- Acho que minha mãe, também participava, ela tem uma jaqueta.
- Deve ser por isso que nossos pais são tão bons amigos.- Ele da uma risada leve e depois olha para mim sorrindo de lado.- Mas não é essa a questão.
- Qual é a questão?- Pergunto respirando fundo mais uma vez.
- Eles querem expulsar meu pai, e para ele não ser expulso...- Ele olha para a sua frente e depois volta a olhar para mim.- Eu preciso me tornar um serpente.
      Fecho os olhos lentamente e respiro fundo.
- Você vai fazer isso?- Olhando de volta para Jughead.
      De novo ele pensa um pouco e depois volta a olhar para mim.
- Eu não sei.
      Eu realmente fiquei sem palavras, Jughead iria entrar para uma gangue do Sul, e eu não sei o que falava sobre isso.
- Você quer?- Eu não conseguia falar nada, além de fazer só perguntas, o que estava ficando bem estranho.
- Não, não, Betty, eu não quero.- Ele volta respira fundo.- Mas eu penso em ajudar o meu pai. Os serpentes nos ajudam.
      Passo a ponta dos meus dedos, delicadamente na bochecha de Jughead.
- Você tem que fazer o que é melhor para vocês dois.- Dou um sorriso.

No final desse capítulo, vemos que Betty é muito fofa, não é mesmo? Kkkkkkk
Espero que tenham gostado
Bjinhos

a love story. ❃ bugheadLeia esta história GRATUITAMENTE!