26. Batalha na Torre

8 1 0
                                              

Já era tarde da noite quando Quad finalmente conseguiu localizar o perigo de que Anna havia avisado, e todos eles estavam exaustos demais para lutar, além disso o frio era tão grande que causou uma queimadura de gelo enorme onde o corpo metálico de cavalo tocava apele de Fabrício, o pobre sentia tanta dor que mal podia respirar.

Acenderam a lareira, que a noite fez entender por que existia, e o colocaram ali perto para aliviar a dor que estava sentindo.

Reesee tinha passado parte do dia concentrado na avestruz, dando um jeito de fazer o animal ficar mais rápido e conseguir saltar com mais eficiência, ele não queria ficar preso em outro buraco, e por isso apenas três das armas que tinham feito estavam prontas e testadas para uso. Uma espada longa que para a surpresa de todos Ivan sabia manejar com maestria, e duas pistolas elegantes que Quad pegou para si sem fazer nenhuma cerimônia. Outras armas estavam prontas e eles deram uma delas para Fabrício não ficar completamente indefeso, mas como eles não tinham testado nenhuma delas estavam torcendo pra que não quebrassem durante o confronto, ou coisa pior acontecesse. Zeeppa e Reesee atearam fogo em duas grandes Acácias de Karoo secas que tinham brotado próximos da torre sabe-se lá desde quando, na tentativa de intimidar seus oponentes, mas o brilho da árvore pareceu ainda mais convidativo, eles sabiam que o fogo os protegeria do frio, e se apressaram para lá. A torre ficou cercada em instantes por quatro criaturas com mais de três metros de altura, músculos enormes e dentes protuberantes.

Acquad estava posicionada no alto da torre e observava o movimento,  logo que pôde Reesee se posicionou próximo dela com uma panela gigantesca e alguns dos galhos da árvores para o fogo. Ivan e Zeeppa esperavam próximos da porta, a maça  com seis lâminas reluzentes de certa forma parecia perfeita para Zeeppa, ambas eram bonitas demais para estarem numa briga.

Os barulhos ao redor da torre iam aos poucos diminuindo, parecia que tudo iria ficar bem, mas ao mínimo ruído na parte interna e logo eles começaram a forçar a porta usando um enorme tronco da árvore incandescente como ariete, com certeza estavam procurando mais que apenas abrigo.

Quad ainda estava imóvel. Um pensamento estranho, absurdo para ela, lhe impedia de agir. Enquanto ela apenas olhava Reesee ferveu um caldeirão com todo o óleo para máquinas que tinham produzido e despejou ali do alto.

Aporta tremia aos golpes do "ariete" e começava a pegar fogo também, e um deles, que havia sido atingido pelo óleo fervente soltou um terrível grito de dor pelas queimaduras que ganhou assim que fogo encontrou o combustível, o grito foi seguido pelo som de garras escalando a parede pelo lado de fora e algo que parecia o som de asas batendo.

O pensamento ainda perturbava Quad, quando ela foi surpreendida pela coisa alada: Porque o grupo deles tinha apenas quatro?

- Quad! Acorda! - Não fosse Reese ter puxado, ela a teria sido estrangulada por aquela criatura quase mitológica.

As mãos ágeis dela reagiram antes que recobrasse os sentidos, o disparo atingiu em cheio o músculo da asa direita da fera e esta caiu a menos de dois metros de Reesee, estava tão furiosa por sua asa que sequer ligava para a dor que sentia, sem nem mesmo se recuperar do tombo ela o agarrou e o prendeu entre os dedos de unhas pontudas como de uma águia, se ele não estivesse com  o maçarico nas mãos ele teria morrido ali no alto da torre, já que o companheiro dela havia chegado ao topo e agora impedia Quad de lhe ajudar.

Por fim a porta da torre cedeu, a rajada de ar que invadiu apagou a lareira e encheu a torre com fumaça. Zeep lidava bem com isso pois em seu mundo era comum se orientarem em batalha pelo som, mas Ivan dependia de sua leitura dos movimentos do oponente para lutar, todavia ele surpreendeu outra vez por rapidamente se adaptar à nova situação, Fabrício tentou ajudar como pôde mas a temperatura extremamente baixa logo o fez parar.Ele não entendia o porquê disso não afetar nenhum dos outros?

Anna assistia pelo espelho toda a confusão que se formou. Mas dessa vez ela não era a única interessada.

Make a WishOnde as histórias ganham vida. Descobre agora