A Adolescente e o Sapo

44 0 0

Era uma vez uma bela jovem, cabelos tingidos de vermelhos, lisos e longos, alta e com corpo de dar inveja a qualquer princesa, seu nome era Augusta. Apesar de toda sua beleza natural Augusta não era uma adolescente feliz. Seu pai era um grande executivo da área de construção civil e sua mãe era do lar, apesar de nunca estar em casa, pois vivia no clube e nos shopping. Foi uma grande surpresa para os pais de Augusta quando perceberam que seus amigos estavam a comentar sobre a tal tristeza vista em Augusta. Resolveram então manda-la para fazer terapia, mas ela não gostou dessa decisão, pois tinha medo do que suas colegas da faculdade iriam comentar sobre isso.

Augusta havia recebido recentemente um livro de presente "No divã do doutor Nomia" e após ler se animou com a idéia de ir num terapeuta descobrir como poderia superar suas dificuldades e se tornar uma pessoa mais completa e feliz, como estava descrito no livro.

- Qual a razão pela sua visita? – perguntou o terapeuta

- Bem, hã, deixa eu ver. Eu não sei o que acontece comigo, eu me sinto nula, incapaz e sinto um vazio dentro de mim, ... – enquanto Augusta descrevia o que estava sentindo, o terapeuta olhava atentamente aos seus olhos, de uma forma que parecia que estava hipnotizando-a pois ela estava se sentindo bem em falar e falava continuamente. Falou sobre suas dificuldades de encontrar amigos verdadeiros, pelo excesso de bajulação apesar de gostar disso, da falta que sente de seus pais e muitas outras coisas.

- Então doutor, o que eu tenho? – perguntou ansiosa.

- Complexo existencial. – falou o terapeuta – você precisa integrar sua pessoa interna com sua personagem externa.

- Como assim?

- Apesar de toda sua experiência de vida, a ausência de seus pais na sua vida, você não está sendo quem você realmente é, você esta se comportando de acordo como seus pais ou talvez como a sociedade deseja que você seja. – complementou o terapeuta.

- Quer dizer que tenho que deixar de ser linda, exuberante e começar a usar roupas simples e ficar mal arrumada?

- Não, sua critica esta em ser bajulada demais pelos seus amigos porque na verdade você queria estar sendo bajulada pelo seus pais. Você precisa deixar de ser a filha do Rei e começar a ser a verdadeira Augusta que está dentro de você. Faz sentido para você?

- Hum, isso faz sentido. Mas se eu mudar, como irei encontrar a minha outra metade da laranja, você acha que irei conseguir alguém que realmente vá gostar de mim como eu sou e não pelo que eu demonstro ser? – perguntou angustiada.

- Busque alguém que não conviva no mesmo ambiente que você e terá a resposta.

Augusta saiu da consulta, iria voltar para sua residência, mais antes disso recebeu uma mensagem no seu celular de sua amiga Meg "Oie, vc vem estudar Química aqui?". Augusta que estava precisando melhorar sua nota resolveu mudar seu destino e ir lá, mesmo porque queria conversar com alguém sobre o que o terapeuta havia falado.

Meg era uma garota bem mais simples, seu pai tinha uma padaria pequena perto da escola e como fornecia os pães para a escola, ela conseguira uma bolsa integral para estudar lá.

Chegando lá, Augusta descobriu que Meg não estava sozinha.

- Oie, Augusta, esse é Kauê, ele faz biologia na faculdade e disse que poderia nos ajudar com a matéria de química. Ele é um CDF . – falou sorrindo e olhando para Kauê que ficou sem jeito.

Os três passaram o resto da tarde estudando química, Augusta não se sentia muito bem perto dele, porém ela tinha que reconhecer que ele realmente era muito bom em química. Além de estudar, eles ficaram um bom tempo conversando sobre assuntos relacionados com a sociedade, governo, economia e relacionamentos. Kauê era CDF em química, porem era um garoto com muito conhecimentos gerais e de papo agradável.

A Adolescente e o SapoRead this story for FREE!