chapter 27

3.3K 222 44
                                    

Pov narrador

-Agora me conta, eu quero saber de tudo!- Dinah disse entregando o balde de pipoca da amiga e se juntando a ela no sofá.

-De tudo o que, garota maluca?-perguntou dando play no filme.

-Você pensa que eu não vi as trocas de olhares entre você e a Camila não?- disse sacudindo as sobrancelhas.- Depois que vocês voltaram da cozinha com os drinks?

-Você estava vendo coisas.- disse simples.

-Sei.- fingiu estar convencida.- Mas você não estava saindo com o Victor?

-Estava no tempo passado. Agora nao estou mais.

-Ue porque?

-Da ultima vez que saimos ele tentou me encher de vodka para me levar para cama. Só que o seu planinho idiota não funcionou. Homens são todos iguais.

-Então agora resolveu ir para o lado colorido da vida?

-Nada a ver, Dinah!

-Uhum! Me engana que eu gosto, Mani!- provocou.- Mas me conta, você e a Camila ficaram?

-Pode se dizer que sim!- respondeu dando de ombros.

-Nossa, agora eu fique surpresa. Então, quem teve a iniciativa? Não me diga que foi ela?

-E qual é o problema? Se eu bem me recordo, você e a Lauren não estariam namorando se não fosse por mérito dela.

-Não tem nada a ver isso. E só que eu pensei que você fosse a ativa.

-Você é a ativa?

-No meu caso é diferente.- disse enchendo a boca de pipoca.

-Não tem nada de diferente. Apesar dela ter um pênis, vocês duas são mulheres na relação, então mesmo assim você poderia ser a ativa, mas vejo que você passa longe disso. E além de ser passiva, é uma passiva mega escandalosa.- nesse momento Dinah se engasgou com a pipoca que ainda estava na sua boca.- Você acha que não dá para escutar lá do meu quarto? Precisamos colocar isolamento acústico nas portas e janelas. Você grita demais, não sei como a Lauren aguenta.

-Cala a boca, Mani! Quem está comendo não esta reclamando! Então se estiver incomodada durma na varanda.

-Eu estou no meu direito. É só você gritar um pouco mais baixo. Parece um gato no cio.

-Vamos assitir o filme que é melhor!

[***]

Ppv Lauren

-Entra, Lauren! A Cinderela ainda está tomando banho.- Normani disse assim que abriu a porta. Agradeci e entrei.

-Se não estivesse atrasada não seria a Dinah.- digo sentando no enorme sofá confortável.

-Nós estávamos assistindo filme até agora pouco e ela perdeu a hora. Não sei como essa mulher chega na hora certa no Colégio.

-Eu também não sei. Deve viver a base do despertador.

-Essa é a única resposta.

Depois disso ficamos em silêncio. Verifiquei meu celular para ter certeza se estava tudo certo com a minha reserva no restaurante de hoje, que eu iria levar a minha namorada. Dinah ama comida japonesa, então eu quis agrada-la.

É sempre bom fazer a vontade de quem a gente ama. Pois você olha aquele sorriso lindo no rosto da pessoa e sabe que você foi a causa dele. Não tem nada mais satisfatório do que essa sensação. Dinah quase fez meu coração pular para fora do peito quando soltou de animação quando eu disse que iríamos num restaurante japonês, que eu descobrir ser o seu favorito na época de criança.

-Lauren, eu tenho que lhe agradecer!- Normani disse depois do silêncio.

-Me agradecer pelo o que?- bloqueio meu celular e o guardo no bolso da minha calça.

-Por estar fazendo minha amiga feliz!- disse com um brilho nos olhos.- Você não tem noção do estado que Dinah ficou quando vocês tinham se afastado. E agora vendo o quão feliz ela está, por ter você com ela, eu preciso te agradecer. Por ser o motivo do seu sorrisinho bobo. Dinah é como uma irmã para mim e saber que ela tem uma pessoa que a faça feliz, me deixa mais feliz ainda.

- Não precisa agradecer, Mani.- puxei a negra para um abraço de lado. Suas palavras me deixaram mais radiante do que eu já estava hoje.- Eu que tenho que agradecer por ter a Dinah na minha vida. Ela é uma mulher incrível, inexplicável e maravilhosa. Eu tenho sorte de te- la comigo!

-Diga isso a ela todos os dias. Você não sabe o bem que ouvir essas coisas causam nela. A Dinah é um pouquinho insegura.

-Eu já percebi isso, espero que melhore. Ela é magnífica, não tem porque se sentir assim.

-Estou pronta!- antes mesmo dela aparecer na sala o seu perfume já havia invadido o local.

-Você está uma gata, Dj!- Normani disse se levantando. Eu apenas estava estática admirando a beleza da minha namorada sexy.

-Não vai dizer nada, amor? Vai ficar parada ai o dia todo?- ela sorriu com a língua presa entre os dente. Adorável!

-Vou! Não, espera, não.... Calma!- porque que eu estava gagueijando?- Você é a mulher mais linda que eu já conheci em toda a minha vida!

Me aproximei do seu corpo e juntei nossos lábios num beijo lento. Rodiei sua cintura com uma das mãos e a outra afoguei nas suas macias mechas loiras. Serpentiei minha língua por todos os cantos da sua boca. Dinah correspondeu o beijo com a mesma intensidade. Era um beijo apaixonado, nosso beijo. Quando o ar nos faltou, separamos o beijo com alguns selinhos.

-Uau!- ela disse com a sua boca ainda perto da minha.

-Eu realmente poderia ter sido poupada desse constrangimento!- Normani se jogou dramaticamente no sofá.

-Desculpe por isso, cunhada!- provoquei.

-Vamos, Laur. Normani precisa de privacidade com a sua panela de brigadeiro e seus filmes estranhos.

-Sai logo daqui, Dinah!- Normani lhe lançou um almofada e Dinah saiu me puxando da casa rindo.

-Eu gosto de irritar ela.- disse quando entramos no carro.

-Eu percebi isso!

O caminho até o restaurante foi ótimo como sempre. Eu me sentia leve toda vez que sai com Dinah. Ela tem uma alma incrivelmente linda e é muito divertida. Ela também ama falar. Não parou de falar um segundo sequer, o caminho todo. Eu ficava mais apaixonada por ela, quando ela contava como tinha sido o seu dia. Seu tom de entusiasmo era contagiante.

Parei o carro enfrente ao restaurante e entreguei a chave para o manobrista que trabalhava no local. Entrelacei meus dedos com os da minha namorada e nos guiei até a recepção, onde fomos guiadas para a mesa que eu havia reservado.

-Aqui é tudo tão lindo! Meus pais sempre traziam eu e minhas irmãs quando éramos mais novas.- dizia tudo com um brilho encantado.

-Você é tão linda!- me aproximei do seu rosto, deixando um beijo castro em seus lábios macios.

-O cardápio, senhoritas!- o garçom disse nos entregando o menu e depois se afastou.

-Posso escolher dessa vez, amor?- ela perguntou com o seu olhar pidão.

-Escolhe vai! Você sempre escolhe quando a gente sai.

-Não é verdade! Teve uma vez que foi você quem escolheu.- disse folheando o cardápio.

-É claro! Era a minha bebida, Dinah.

-É mesmo assim você escolheu.

-Escolhe ai, vai!

Hey galera!

Vou continuar no outro cap pq deu preguiça de escrever aqui.

My sexy teacher (G!p)Onde as histórias ganham vida. Descobre agora