Como faço para parar de pensar em você?

3.3K 203 13

•Elizabeth Cooper

— Então, vocês sabem o meu nome mas eu não sei o de vocês — abri um sorriso gentil.

— Eu sou a Veronica, é um prazer te conhecer — a morena tinha um sorriso encantador.

— Meu nome é Archie — ele também sorriu.

— É um prazer conhecer vocês.

Terminei de comer meu lanche e peguei minha bolsa, logo me levantando olhando para o casal na minha frente, com um sorriso.

— Eu já vou indo, até mais.

Depois sai do refeitorio direto para o meu armário e peguei os dois últimos livros que iria usar nas últimas aulas.

Foi a primeira aula em que Jughead não estava invadindo os meus pensamentos. Ele não estava lá para ficar me olhando e me deixando envergonhada com as bochechas rosadas.

Então finalmente chegou a última aula do dia, o que eu não queria que tivesse chegado, com certeza gostaria de ter visto Jughead mais uma vez hoje, mas não foi o que consegui.

•Jughead Jones

Eu não poderia estar apaixonado por uma menina que nem se quer tivemos uma boa conversa, foi apenas uma apresentação e uma troca de olhares estranha no corredor. Não poderia ter explodido de tantos sentimentos novos apenas por causa de uma pequena conversa.

Não queria ver mais ela hoje, não queria sentir tudo aquilo de novo dentro de mim. Tentei causar uma distância só pelo fim do dia. Estava me sentindo um tolo.

As duas últimas aulas passaram, e eu fui para casa, pensando em Betty. O que eu não conseguia parar de pensar. Precisava fazer alguma coisa para parar de pensar nela só pelo resto do dia.

Descidi ir ao Pop's, já que é a lanchonete que todos de Riverdale vão, talvez eu possa encontrar o Archie, ou o meu pai que está trabalhando lá, ele é a única pessoa que eu posso confiar para falar algo do tipo, mas no momento não gostaria de falar sobre ela mais com ninguém.

Cheguei no Pop's e me sentei em uma mesa, peguei o cardápio e escolhi um milkshake de morango.

— Jughead! – meu pai falou da cozinha, então ele veio até mim. — Vai querer alguma coisa? — Ele pegou uma caderneta pequena que estava dentro do seu bolso para anotar o meu pedido.

— Eu quero só um milkshake de morango, por favor — abaixei o cardápio e olhei meu pai anotar o meu pedido. — A noite você vai se encontrar com o Tall Boy de novo? — o questionei.

Ele parou de escrever e olhou para mim com um olhar triste.

— Vou. Você sabe que ele está nos ajudando a manter o nosso dinheiro, né? — respondeu ele guardando a caderneta dentro de seu bolso.

— É, eu sei. Mas esse negócio de serpente, vai dar certo? Sei que já é a alguns anos, e sei que foi por isso que a mamãe e a JellyBean foram embora. Eu só queria minha família reunida novamente.

— Eu vou parar, eu prometo. Vou trazer sua mãe e sua irmã de volta — prometeu ele com a cabeça baixa.

•Elizabeth Cooper

Depois das últimas aulas, decidi passear pela cidade e conhece-la mais um pouco. Andei até uma praça onde tinha um parquinho com varias crianças brincando. Me sentei em um banco por perto e fiquei alguns minutos apenas apreciando a natureza e sentindo o ar fresco em minha pele.

Fui para casa depois de alguns minutos sentada. Logo quando entrei pela porta vi minha mãe estava na cozinha fazendo um café, e meu pai estava sentado na sala assistindo um canal de esportes.

— Oi filha! Como foi o seu primeiro dia de aula? — fala minha mãe, parando de fazer o café por um segundo só para olhar para mim.

— Foi legal. Eu vou subir. — respondi colocando minha mão no corrimão da escada.

— Não, espera — ela chamou minha atenção e eu me virei lentamente para ela.

— O que? — olhei para o meu pai que até agora não tinha falado nada e voltei a olhar para a minha mãe.

— Tem uma lanchonete aqui perto, quer ir comigo?

— Claro! — sorri. — Só vou trocar de roupa rapidinho.

Subi até meu quarto e vasculhei meu guarda-roupa até encontrar algo que eu estava a vontade me vestindo. Peguei um vestido amarelo que eu tinha a algum tempo, coloquei o meu mesmo casaco marrom, o meu tênis branco, mas dessa vez eu soltei meu cabelo.

— Vamos? — minha mãe questionou.

— Vamos.

Nós duas fomos conversando o caminho até a lanchonete. Lembrei de uma coisa que me deixou curiosa desde quando cheguei em casa e decidi perguntar agora.

— Como sabe que tem uma lanchonete aqui? — questionei ela que me olhou com um sorriso.

— Eu já morei aqui, Betty. Meu ensino médio foi feito aqui — minha mãe respondeu ainda sorrindo.

— Porque não me disse? Isso é incrível.

— Desde quando chegamos aqui, não tivemos muito tempo para conversar — minha mãe parecia triste depois de ter falado isso. — Sinto saudades de falar com você.

Eu estava com uma grande saudades de falar com ela como falávamos antes. Eram conversar produtivas e engraçadas. Eu amava isso.

Chegamos na lanchonete e a primeira coisa que eu consegui ver foi o seu grande nome estampado em neon na sua pequena entrada: Pop's.

•Jughead Jones

Estava tomando meu milkshake, quando olho para fora do Pop's e vejo Betty com uma mulher, talvez a sua mãe, mas só conseguia pensar na coincidência dela estar aqui no Pop's.

— Meu Deus — sussurro para mim mesmo, com um leve espanto.

Meu pai chega e se senta do meu lado, também olhando para Betty, com a mesma expressão de espanto que eu.

— Alice? — ele fala erguendo uma sobrancelha.

— Quem? — pergunto me virando para ele, desentendido.

— Alice Cooper, o que ela faz aqui? — ele ainda falava inconformado, e como se tivesse visto um fantasma.

a love story. ❃ bugheadLeia esta história GRATUITAMENTE!