Capítulo 26 (penúltimo)

1.2K 115 8

Morrer dói e o último som que eu escutei foi a última batida do meu coração.
Quando abri os olhos novamente me vi em um riacho,sentada em cima de um pano de fazer piqui nick.

Olhei para minha roupas,vestia  um vestido rosa liso e olhando para o lado ,me assutei ao ver os cabelos loiros e olhos verdes da minha mãe.

–– Então eu morri?–– Minha voz ecoou pelo parque.

Minha mãe sorri e afirma com a cabeça.
Não falo mais nada,não tem o que falar,fico perdida nos meus pensamentos até que minha avó ,Aylon,meu pai ,tia Mara,tio Caio e Aline se sentam ao nosso lado.

–– A morte não é tão ruim assim.–– Comento.

–– Não, mas você não pode ficar Meg.–– É meu pai que se pronúncia dessa vez.

–– Como assim? Eu tenho que ir para outro lugar antes de vir para aqui? Tipo purgatório? –– Não consigo evitar de concluir.

Minha avó me joga uma pedra e eu a pego,percebo que é a mesma pedra que eu usava em um colar, a mesma pedra que Paulo me deu.

–– Quando você mais precisar ela irá te ajudar.–– Ouço a voz de todos ao mesmo tempo e começo a escutar uma zoeira na minha cabeça, podia jurar que havia escutado um rosnado.

–– Eu não quero voltar.–– Murmuro em um careta de dor.

–– Seu tempo ainda não acabou.–– Aline fala.

–– Você ainda tem que fazer a diferença. –– Agora é tio Caio que se pronúncia.

–– Não importe o que aconteça, continue forte.–– Aylon diz.

–– Não se arrependa dos seus erros ,eles te tornam forte.–– Meu pai diz.

–– Não se deixe abater minha criança. –– É minha avó quem diz agora.

–– Seja quem você nasceu para ser ,minha estrela.–– Ouço minha mãe e depois sou sugada de volta para a confusão.

Sons me deixam confusa, cheiros invadem minhas narinas unidades de água.
Abro os olhos e encaro a luz da lua e vejo o que estava me queimando,um fogo azul que agora me refresca e me cura.
A pedra que estava em meu pescoço evapora e vem até mim.

Tuntum, Tuntum, Tuntum....

Sons me chamam atenção e me surpreende quando percebo que é meu coração. Nado até a borda e quando olho para cima vejo definitivamente uma guerra. Alfas ,lobos e lobisomens lutando contra os amaldiçoados.

Ian e Luke lutam contra o alfa enquanto Brandon e Jade lutam.

Paro de prestar atenção quando dou o primeiro suspiro que dói como o inferno.

Olho para meu corpo e para a lua,não consigo evitar e solto um  grito que se transforma em um rosnado de dor.
Dor de estar viva e de todo esse terror ter sido verdade.

Olho para Jade e sei que todos me olham,não me importo.
Se já sou uma aberração que seja uma completa.

Salto caindo em pé na sua frente ela por sua vez deixa seu rosto inexpressivel.

–– Não quero lutar contra você Megan, eu ensinei tudo que você sabe.–– Ela diz e não consigo evitar de olhar para Ian.

–– Nem tudo.–– Minha voz sai arrastada.

–– Como é possível? Você deveria estar morta!–– Éster fala dando alguns passos para trás.

–– E eu estou.–– Falo com a voz calma olhando para Éster com pouco causo.–– Assim como você.

Lua Cheia Leia esta história GRATUITAMENTE!