Exercícios #25 - A voz do narrador #2

543 50 30






Tenho recebido muitas perguntas sobre o "narrador ideal" para cada história. Por isso, acho que é um bom momento para um exercício sobre o tema.

Mas, primeiro, ressalto que acredito na força do narrador, seja qual ele for, como peça estruturante da história. A voz do narrador seve ser única e definida como a trama. Ela pode, por exemplo, ser um sussurro difícil de notar que vai instigando sentimentos do leitor (como o instinto materno e protetor da narradora em de Harry Potter). Ou uma declaração estridente e cheia de opinião tudo (como em Percy Jackson).

Já se perguntou como essas histórias ficariam com narradores trocados?

Essa mudança seria tão fundamental que afetaria até os eventos da história, principalmente nos últimos livros das séries, quando a voz do narrador está mais "assentada". O tom de tragédia do final da saga de Harry, por exemplo, não comportaria a voz descontraída de Percy. Ou as pouquíssimas baixas na batalha final de Percy Jackson não fariam sentido na voz angustiada de As Relíquias da Morte.

Quando o narrador se funde com os outros elementos narrativos de forma definitiva, ele influencia a trama fundamentalmente. Esse é o poder de um narrador bem escolhido e desenvolvido.

E, na primeira pessoa, a influência do narrador sobre a trama é ainda maior. Consequentemente, o impacto de uma voz desinteressante ou inadequada é ainda maior. Por isso, trabalhe muito bem o seu narrador em uma história em primeira pessoa.

Dito isso, vamos ao exercício!

Escolha um capítulo qualquer (ou conto) de sua autoria e vamos à reescrita!!!

Escolha quatro das seguintes vozes de narrador (pelo menos uma de cada pessoa) e reescreva seu texto:

1ª pessoa: Protagonista ranzinza e sarcástico

1ª pessoa: Antagonista (como ele é atualmente)

1ª pessoa: Antagonista ingênuo e bondoso


2ª pessoa: Sidekick do seu protagonista

2ª pessoa: Mãe orgulhosa do protagonista

2ª pessoa: Desconhecido, observando de perto


3ª pessoa: Ser onisciente e neutro

3ª pessoa: Alguém excêntrico e cheio de opinião

3ª pessoa: Desinteressada com a história


Depois, leia os cinco textos (o original e os quatro reescritos) e responda:

- O que precisou ser mudado na trama para comportar o novo narrador?

- Qual das vozes ficou mais interessante para o leitor?

- Qual das vozes se encaixou mais com a trama?

- Qual foi a mais prazerosa de escrever?

- Qual delas você vai continuar escrevendo? Por quê?

- Existem mudanças ainda necessárias na voz? Quais?


Se você se animar, faça com todas as nove opções. Muito se pode ler e estudar sobre narradores, mas nada substitui a prática. Reescrever a história buscando a voz do narrador é fundamental.


***

A participação de vocês é imensamente importante! Peço que usem os comentários para críticas, perguntas, opiniões e sugestões de temas. Se gostarem, não deixem de votar e adicionar à sua lista de leitura para não perder os próximos capítulos.

GUIA do Escritor de FicçãoOnde as histórias ganham vida. Descobre agora