Um Novo Dia 04 (Artenis)

3 0 0
                                              

Irmãos

— Hã, Marcelly, posso te fazer uma pergunta?

Foi o perguntei para ela enquanto descíamos o morro juntos de Leonardo e Seth após termos descansado e admirado o lindo nascer do sol na cidade de Nascente.

— Você já fez uma.

Enquanto caminhava à minha frente na trilha, sem olhar para mim, ela respondeu.

— Ah, desculpa, mas é que...

— Foi uma brincadeira — falou, virando seu rosto para mim e sorrindo.

— Ah.

Uma brincadeira?

Acho que levo as coisas muito a sério, não pude pegar uma piada boba como essa.

Ou talvez tenha sido porque ela falou num tom sério demais...

De toda forma, ela tinha me pegado de surpresa. Não esperava uma brincadeira dela, uma pessoa tão séria.

Ou talvez fosse minha visão sobre ela que estava completamente errada.

De qualquer forma, estava apenas pensando demais — de novo, levo as coisas a sério demais — então decidi voltar ao meu foco.

A pergunta.

— O que quer me perguntar? — Ela me questionou, voltando seu olhar para o caminho em que trilhava, ou a trilha em que caminhava, tanto faz.

— Bem, é que fiquei curioso sobre uma coisa... — respondi.

— Você tá sendo vago demais, por que não vai direto ao assunto?

Ela tem razão, acho melhor ir direto ao ponto.

— Onde você conheceu a Liza, digo, a Elizabete? Como a conheceu?

Marcelly ficou calada por alguns segundos e depois respondeu:

— Bem, é uma longa história.

Uma resposta vaga, como se quisesse fugir do assunto.

Logo ela que me disse que eu era vago demais havia poucos segundos?

Bom, eu sei que estava sendo um pouco indiscreto, afinal, havíamos acabado de partir do pequeno "funeral" que demos à Liza, e ela ainda parecia abalada pela morte da amiga. Eu entendo, eu também estava, mas...

Ainda assim, eu queria saber, estava curioso.

Afinal, onde elas se conheceram?

Quando se conheceram?

Que tipo de ligação tinham uma com a outra?

As respostas para essas perguntas poderiam esclarecer um pouco mais o passado de Liza, que ainda era nebuloso e cheio de mistérios até para mim, quem ela considerava ser seu amigo mais próximo.

— Você não pode me contar? — insisti.

— Não, me desculpe... Foi uma promessa que fiz a ela — respondeu ela, de maneira enigmática.

Promessa?

Mas por que a Liza me proibiria de saber sobre o passado dela?

De toda forma, que tipo de relação havia se formado entre a Liza e a Marcelly a ponto de as duas terem feito uma promessa?!

Eu nem cheguei nesse nível...

Bom, a amizade entre uma garota e um garoto é diferente de uma entre garotas, imagino.

Maldições de SangueOnde as histórias ganham vida. Descobre agora