Capítulo 4 - Membros da Alcateia

135 18 41


05h36min daquela mesma madrugada

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

05h36min daquela mesma madrugada...

Acira acordou como se estivesse tendo um pesadelo e com os olhos de loba, mas não se moveu de imediato. Sentou-se na cama e observou John por alguns segundos, que dormia já em sua forma humana. Farejou o ambiente e em seguida levantou e foi em direção as escadas, mesmo estando nua. John a sentiu afastar-se e despertou em silêncio. Com a mão esquerda, sentiu a umidade do lado do colchão em que ela dormia. Ele caminhou até a janela e a avistou se transformar, já bem próxima das árvores e adentrou no bosque correndo.

Em seguida se transformou ali mesmo no quarto e desceu as escadas tentando evitar o máximo de barulho possível. Farejou o local de onde ela havia se transformado e pensou.

"Onde será que ela está indo?" — olhou ao redor da casa e notou que os outros ainda dormiam e foi atrás dela.

Havia perdido ela de vista, mas seu cheiro ainda era forte. Correu uma distância de aproximadamente dois quilômetros até encontrar uma pequena ladeira de rochas e raízes no qual o cheiro era estável. Ainda farejando o ar pensou em uivar, mas algo o impediu e empinou as orelhas para ter certeza do que acabara de ouvir. Um som baixinho, quase imperceptível, no qual ele não tinha certeza do que se tratava, mas algo o guiava para o meio das rochas. Avistara uma espécie de toca entre duas raízes grandes e algumas pedras. Supôs que Acira estivesse ali, pois seu odor vinha forte daquela direção. Hesitante, levou um susto quando Acira o surpreendeu rosnando e se encolhendo na toca por instinto.

— Acira, sou eu! — ele recuou de orelhas baixas.

— John? — Acira voltou a si. — Me desculpe você me assustou...

Ela deitara novamente na toca. John se aproximou devagar e sentiu seus pelos se arrepiarem no exato momento que escutou um pequeno gemido.

— É o que eu estou pensando que é?

Acira abanara a cauda e perguntou.

— Por que não vem ver e descobre?

Ele a obedeceu e lentamente começou a ter visão dos pelos dela, pois a toca era um pouco inclinada. Quando finalmente estava há alguns centímetros de distância, pôde avistar dois seres pequeninos de uns 28 cm de comprimentos entre as patas dela. Ela os limpava, mas mesmo ainda sujos, John conseguiu ver a cor da pelagem bem fina de ambos. O mais inquieto entre os dois era branco como a mãe e o outro uma mistura de pelagem branca e preta, parecendo muito àquelas raças de cães que puxavam trenós.

John congelou e ficou com o olhar vidrado nos pequeninos até que Acira disse após lambê-los.

— Digam olá para o papai!

"Pai em dobro... Quem diria..." — pensou e em seguida voltou a si e esfregou seu rosto com o de Acira e disse.

— Eles são lindos Acira!

BloodLycan - A Saga dos irmãos Mool - Parte 2Leia esta história GRATUITAMENTE!