Assim que desci os degraus ouvi outro burburinho próximo. E Kellan, o recepcionista de cabelo seboso e roupa amassada deleitava-se com a visão do grupo de loiras universitárias a sua frente. Acenei, mas ele não notou. Na verdade eu duvidava que fosse capaz de notar se um elefante usando tule tentasse subir às escadas.

Antes de atravessar as portas ouvi zombarem da minha calça larga. Respirei aliviada, pois não era sobre o temido vídeo. Em contrapartida, acostumada a viver com poucos recursos, me adaptei com roupas de brechó. E eu estava bem com aquilo.

E mesmo abalada com os últimos acontecimentos; principalmente com a probabilidade do vídeo se espalhar, precisava ser forte. Ao menos eu acreditava em mim mesma. Porque se não acreditasse, me tornaria tudo o que diziam que eu era: nada.

Ainda na calçada olhando para os lados, e pensando em qual deles seguir, observei algumas pessoas passarem por mim com copos cheios de vapor em suas mãos.

O aroma do café fresco me acertou no momento exato que pisei sobre os paralelepípedos do parque, causando uma completa bagunça em meu estômago.

Eu ainda tinha sono, então deixei alguns bocejos preguiçosos escaparam descaradamente pela. minha boca.

Parei bem atrás de uma senhora rechonchuda na pequena fila de hot-dog. A maioria ali murmuravam pressadas; enquanto a minha calma era uma virtude desconhecida entre elas. Eu havia saído um pouco mais cedo para que pudesse comer algo antes de ter o meu primeiro dia de aula.

Tinha pouco dinheiro, porém, suficiente até conseguir um trabalho. E eu teria almoço de graça no refeitório do curso, isso era muito mais do que eu poderia exigir.

(...)

Depois de comer dois hot-dogs, observando alguns pássaros alternarem o voo entre uma árvore e outra, até pousarem em um ninho definitivo, passei a sentir a falta dos meus pais e John, o meu pimentinha de seis anos.

Não muito longe havia uma mulher distribuindo folhetos, eram sobre o parque que estava fazendo aniversário. Sentei e comecei a folhear.

O Washington Square era um parque público da cidade de Nova Iorque. E apesar da Universidade considerar que o local é parte do seu campus, porque a maioria dos edifícios que o circundam pertencem à NYU, continuava a ser público. Com a grande fonte no centro, o Arco de Washington, e também uma extensa área verde para famílias se reunirem.

Era bonito e diferente das folhas secas de Amarillo. Mas um pouco perigoso à noite. Olhei além das árvores, até os meus olhos encontrarem o prédio da Tisch, – onde eu cursaria fotografia –, e entre muitos outros edifícios ele se destacava pela bandeira roxa hasteada.

A cidade, bom... A cidade era o caos e ainda sim muito viva e excêntrica. Um misto de buzinas, aroma diferentes, e centenas de pessoas no modo automático de um lado para o outro. Parecia haver uma competitividade absurda no ar.

.

A faculdade Tisch "Escola de Artes", é uma das escolas da Universidade de Nova Iorque (NYU). Cada uma das faculdades da NYU possui um prédio diferente na região do Greenwich Village. O prédio da Tisch conta com os cursos relacionados às mais diversas formas de arte como cinema, ITP, dança, roteiro, drama, e fotografia, que se localiza no 4º andar do prédio. O meu curso se estendia em período integral, o que significava que iria trabalhar no período noturno.

Assim que cheguei ao prédio, passei pela catraca e subi até o 4º andar e segui alguns corredores até encontrar minha sala. Fiquei feliz ao notar que não haviam muitos alunos ali dentro, eu odiava a pressão que um bando de jovens te encarando podem causar.

INFAMOUS  | #1 SÉRIE DEADSTOCKLeia esta história GRATUITAMENTE!