Capítulo 5 - Lobo Mau

337 37 105


Naquela noite, os pensamentos de John arduamente o deixaram adormecer

Oops! This image does not follow our content guidelines. To continue publishing, please remove it or upload a different image.

Naquela noite, os pensamentos de John arduamente o deixaram adormecer. Sua mente remoia o momento e as sensações de quando provara a carne humana. Ficou ansioso e cada vez que as lembranças vinham à tona do primeiro contato do sangue de Josi e suas papilas gustativas, psicologicamente sentia o sabor envolver seus sentidos. Dormira apenas por uma hora, mas acordou bem disposto e até preparara o café enquanto seu irmão dormia. Quando já estava de saída, chamou por seu irmão.

— Allec acorda!

— Hm...?

— Vamos, levanta! Você vai acabar se atrasando pra escola.

— Que horas é?

— 07h25min. Eu fiz o café, preciso ir trabalhar e vou fazer hora extra hoje. Até mais tarde...

— Mas... John... — quando foi terminar a frase seu irmão já havia saído. — Então tá... — disse se levantando preguiçosamente e foi até a pequena mesa no centro da cozinha. Na mesa haviam bacons bem fritos que emanavam uma gordura que lhe fez salivar instantaneamente, acompanhados de um bife malpassado e leite. Surpreendeu-se pelo ato de seu irmão, pois não tinham este costume.

— Tomara que ele acorde assim todos os dias... — Allec disse ao sentar-se à mesa e lambera os beiços ao pegar o bife.

14h20min... Um grupo de turistas entrou no bosque através da trilha que levava a uma pequena queda d'água, muito visitada naquela época do ano, antes que a neve extinguisse tudo. O grupo era constituído de um guia, dois casais, uma menina de uns nove anos, filha de um dos casais que levava seu husky siberiano numa coleira e mais quatro jovens de aproximadamente uns 20 anos de idade. Conforme avançavam na mata, o guia lhes contavam as histórias passadas da cidade e sobre os tipos de animais que viviam ali. O cão ficara agitado de repente e começou a latir em uma direção.

— Pai segura o Tuf. — disse à garotinha sendo puxada pelo cão que latia e tentava se soltar.

— Me dá querida. — acariciou o pescoço do cão que choramingava baixinho. — O que foi garoto? Venha, não tem nada lá. — se levantou e quando foi se juntar ao grupo sentiu um puxão e Tuf se soltara e sumiu entre as árvores. — Hey, calma aí garoto! — gritou o pai, mas o perdera de vista.

— Onde ele foi papai?

— Eu não sei querida, deve ter farejado algo... TUFFFFF! — chamou pelo cão e voltou a atenção para a filha que demonstrava sinais de lágrimas. — Não se preocupe querida ele vai voltar.

— Senhor não se preocupe, eu chamarei o resgate de animais pelo rádio. — disse o guia pegando seu walk talk e entrou em contato com os superiores lhe informando a situação.

— Obrigado. — pegou sua filha no colo. — Viu querida, quando menos esperar ele estará de volta.

— Por que ele fugiu pai? — perguntou num tom choroso.

BloodLycan - A Saga dos irmãos Mool - Parte 1Leia esta história GRATUITAMENTE!