Zoo (parte 1 de 5)

232 46 248


Capítulo XIV


"O homem e os outros bichos que passeiam

neste campo de cinza te perseguem.

E após tantos verões sua presença

ainda se guarda em ti como na infância"

Bestiário — H. Dobal




Ela corria pela mata sangrada pelo luar.


Gritos incessantes ao longe e às suas costas.


Fugia o tanto que sua adrenalina permitia. Não havia trilha. E em meio aos galhos que feriam seu corpo, que lhe puxavam as pernas, a luz trêmula da lanterna vagava no pavor de sua mão tentando afastar as sombras do caminho.


O ar era vomitado de seu peito; e, com dificuldade, tragado de volta. Algo perseguia Marcela. Algo perseguira a todos naqueles últimos dias.


Passos pesados.


Grunhidos.


Estava perto.



— MARCEELA! - o grito de Carlos, em algum lugar à sua volta.



— POR AQUI! POR AQUI!



— Não, não, não - Marcela repetia para si mesma.


Árvores negras: sombras contorcidas. Ela continuou a correr, de olhos quase fechados, sem querer ver o que se passava a sua volta, nem o que corria junto a ela, tentando alcançá-la.



— Aaaaaah! - alguém gritou à sua esquerda.



— Aah! - Ela gritou de volta, apavorada.



— SOCOOORRO! - A voz de Leandro estrondou no céu.



— Vem p'ra cá, Marcela! - Carlos a chamava em algum lugar em meio às árvores à sua direita. - VEM!



Capítulo I


Sentados... Carlos, Leandro e Marcela.


Estavam sentados no fundo de uma van. Ali atrás com eles, dois homens os vigiavam através de máscaras de animais.

Carne Morta e Outros Contos Folklóricos de Dark FantasyLeia esta história GRATUITAMENTE!