Hayes me olhava furioso do outro lado do corredor. Eu podia sentir sua raiva, e diria que ele estava com razão em uma boa parte do tempo, mas o tempo não para, e somos jovens demais para se prender em algo sem importância.

— Stella!— Hayes me chamou, empurrando meu corpo com tudo, para o armário do selador.

— Oops!— Meus lábios deixaram escapar.

— Eu mandei você ficar longe da minha irmã!— Ele gritou. — Você é tóxica para ela e para todos que chegam perto de você.

— Eu sou tóxica, Grier?!— Gritei, reprimindo o mesmo. — Eu sei coisas que você não imagina que eu sei.

— É... ques coisas?

O sorriso elevou-se em meus lábios.

Querido, ouvi dizer que você esteve falando sobre mim ultimamente. Contando a todos os seus amigos o quanto você me odeia — Passei meu polegar no rosto do Hayes. — Mas quem você está chamando quando você fica sozinho?

Hayes bufou. Ela não aceitava que mesmo após o término seu corpo me pertencia, e ele sempre estaria envolvido comigo mesmo não querendo.

— O que tínhamos acabou, e você precisa aceitar isso!— Grier falou furioso. — Eu realmente te odeio.

Por que você sempre age como se não me quisesse na frente do seus amigos?— Provoquei.

— Eu não te quero. Você é tóxica na minha vida, você é como um vício sem cura — Hayes estava com medo. Encarei o mesmo, fixando meu olhar no seus olhos.

Você disse que acabou...— Pensei, enquanto um sorriso elevou-se em meu rosto.— Mas suas roupas não dizem o mesmo no chão do meu quarto.

Nos encaramos rapidamente. Beijei a bochecha dele saindo do armário em seguida.

Por que Hayes me odeia tanto?

Eu apenas fingir que ele me traiu, para poder ajudar o mesmo. Não foi nada demais!

Mas como diz o próprio ditado: Tudo que vai, volta!

_______________

Eu amei tanto esse pov's.

Música: Bedroom floor.

— C.

dirty messages | hayes grierLeia esta história GRATUITAMENTE!