planta esperança

8 3 2

Enquanto houver vida, há esperança.

O povo costuma falar.

Enquanto há vida, há esperança.

E o povo errado nunca está.


O que se busca e o que anseia

Nada mais é do que areia

Frente à grandeza imensa

De uma semente de cereja.


A semente é chão e ar.

A semente faz a vida brotar.

E a vida brota

Mesmo onde há folhas mortas.


E cresce para cima,

Folhas no espaço.

E afunda para baixo,

Raiz no buraco.


Depois vem caules e folhas e flores e frutos.

E nova semente se forma.

Onde há semente, há esperança.

Mãe terra, sabe.

Onde há vida, há esperança.

Nosso povo canta.


Então pare de buscar, criança,

O que já está em sua mão.

E pega logo essa esperança

E a planta no chão.

Na Companhia da PoesiaLeia esta história GRATUITAMENTE!