por vezes

8 3 2

me pergunto

assustada em meio a sonhos

de meia noite em ponto

o que há de nascer

o que romperá a casca

desta era de desencanto

Na Companhia da PoesiaLeia esta história GRATUITAMENTE!