dançar

5 3 1

Vem, amor.


Não corra,

Vem comigo dançar,

rodopiar.


Mundo,

máquina de moer,

Mói.


Mecanismo graxo,

roldanas dentadas.

Relógio acusa

Tempo que não há.

E nem mesmo assim ele para.

Acorrenta nossas horas,

Crava ponteiros.


O tempo é metrificado,

retilíneo.

Sua regra não é a nossa,

Rósea.


Não corra.

Não fuja.

Vem, amiga, vem dançar.

Abrir os braços e girar.

Somos, você e eu, amantes

Do que não basta

Nem limita.

Somos, você e eu, infinitas.


Braços em meus braços,

Sua força é a minha,

Juntas, contornamos o tempo,

Giramos a roda,

Destravamos as horas.


Não corra,

Nem fuja,

Insista, minha querida.


Eu estou aqui,

Nesta dança,

Para te acompanhar.

Na Companhia da PoesiaLeia esta história GRATUITAMENTE!