⚠ Twelve ⚠

39.3K 3.5K 3.7K

Boa Leitura!



"Às vezes uma pessoa é tão idiota que você pensa "Não, não é possível". E tenta ver e rever a situação. Mas é possível sim: existem idiotas."

Jungkook P.O.V's

     Após o jantar, todos foram para seus quartos. Tomei um banho rápido, precisava de um para tirar o cansaço de meu corpo. Vesti apenas uma boxer e uma calça de moletom, apesar das baixas temperaturas, é a única coisa que costumo usar em casa, e bom, não precisarei de mais nada durante a noite, já que meu ômega dormirá abraçado a mim. Confesso que ter seus pequenos braços em volta de meu corpo é melhor que qualquer calmante, capaz de me fazer dormir em questão de segundos.

     O pequeno estava quase dormindo, quando entrei por baixo de seu edredom. Seu corpo sobressaltou ao sentir o contato de minha pele ainda fria, mas logo se aconchegou ao mim, aquecendo meu peito com uma de suas blusas de lã. As peças ficavam tão fofas em seu corpo, as mangas um pouco longas, cobriam até a metade de suas mãos, deixando os dedos fofinhos expostos, e quando a barra marcava metade de suas coxas. Era sua mania dormir assim, e confesso que sou extremamente apaixonado por este detalhe.

     -Jungkook-ssi, já está dormindo? –Ouvi sua voz tão baixa, achei que estava sonhando.

     -Não, Bebê. –Levei os lábios até seu pescoço, depositando um beijo sobre a pele ali exposta. –O que deseja?

     -Hyung, eu... –Houve um pouco de hesitação em sua voz. –Deixa pra lá.

     -Jiminnie, pode dizer. –Apertei levemente sua cintura, tentando lhe passar um pouco de coragem.

     -Não é nada sério, bobagem minha. –Senti seus lábios em minha bochecha, e sua cabeça se aconchegar na curva de meu pescoço. –Boa noite, Hyung!

     -Boa noite, Bebê! –Sussurrei, ainda encarando o teto, enquanto sua respiração ia se acalmando cada vez mais.

     O ômega dormiu rapidamente, mas apesar do cansaço, meus olhos recusavam a fechar. Minha mente estava uma completa confusão, ainda em relação aos meus sentimentos, tê-lo em meus braços, é a melhor coisa do mundo, mas tinha medo de machucá-lo, não fisicamente, consigo me controlar quanto a isso, as feridas que mais tenho medo, são às psicológicas, justo às que o garoto já carrega consigo. Sinto que talvez Jimin seja a "cura" que esperei por muito tempo, ao mesmo tempo, sua inocência me deixa completamente fascinado. Vivi por anos, em festas, bares, enchendo a cara, não por diversão, às vezes o álcool me fazia esquecer, as cenas que fui obrigado a presenciar, quando tinha apenas oito anos.

     Odeio ser comparado ao meu pai, temos a mesma personalidade, sou obrigado a concordar, mas não temos o mesmo caráter. Não éramos pessoas com uma vida luxuosa, mas tínhamos o bastante para viver confortavelmente. O mais velho também era médico, e morrer em um acidente de carro, talvez tenha sido um alívio para todos. Ele não era uma pessoa violenta, costumava levantar a voz como qualquer alfa, transpassava a imagem de pai, e marido perfeito, mas de nossa família, apenas eu sabia como o velho era de verdade. Aos cinco anos, cheguei mais cedo da escola, e o encontrei, se agarrando com nossa babá na cozinha.

     Na época me calei, ouvia meus amiguinhos do colégio dizerem o quão chato é ter os pais separados, e não queria que isso acontecesse conosco, na época meu irmão tinha apenas dois anos. Eles não perceberam minha presença ali, mas nunca mais vi meu pai como um herói. Quando o velho finalmente morreu, em um trágico acidente de carro, minha mãe descobriu a traição, afinal a maldita babá estava com ele, e a infeliz saiu viva. O assunto foi abafado, o fato de ser um dos melhores médicos do país, contribuiu para o que alfa morresse com a imagem limpa.

Sweet Poison ⚠ Jikook ABO ⚠Leia esta história GRATUITAMENTE!