O Retorno de Elizabete 03 (Artenis)

4 1 0
                                              

Resgate

Conjunto Residencial Pedra Branca.

Era meia-noite em ponto, fim do dia quinze de fevereiro e início do dia dezesseis de fevereiro. Nós, Seth e eu, mais uma vez nos encontrávamos naquele mórbido e abandonado lugar, que, embora eu tivesse o conhecido apenas pouco mais de um dia atrás, já estava cheio de memórias desagradáveis.

— Tá preparado, garoto? — Seth perguntou a mim enquanto nós dois estávamos parados diante dos portões daquele local tenebroso.

— Sim... espero que pela última vez — respondi, murmurando a última parte somente para mim mesmo.

— Então vamos lá... — disse o meio-vampiro, dando o primeiro passo adiante.

Ao cruzarmos os portões, novamente senti aquele calafrio, mas dessa vez era diferente — ele era ainda mais gelado que na vez anterior, era como se o meu corpo quisesse me avisar de algo ainda mais terrível do que eu poderia imaginar.

E chegando ao pátio central do conjunto, que, de tantos buracos e rachaduras, parecia mais um campo de guerra após várias batalhas, encontrei alguém inesperado — ou melhor, alguém que eu não queria esperar estar lá.

De pé bem no meio da cratera que havia sido feita no pátio por aquela vampira chamada Violeta no dia anterior, estava ela, trajando um belo e elegante vestido vermelho, com seus longos e lindos cabelos ruivo-avermelhados balançando à leve e gélida brisa da noite.

A pior das minhas hipóteses acabara de ser confirmada.

Elizabete Santos — minha antiga colega de classe, minha melhor e única amiga; ela, cujo paradeiro se tornou desconhecido após as férias entre o segundo e o terceiro ano do ensino médio. Ou, pelo menos, era desconhecido...

Até aquele momento.

— Olá, Artenis. Há quanto tempo, né? — Elizabete me cumprimentou educadamente, enquanto ostentava um sorriso gelado em seus lábios.

— L-Liza?! — Engasguei-me, tamanho era o choque ao vê-la ali, bem diante de mim, justamente naquele lugar, no pior momento de todos.

Como resposta, ela apenas riu friamente, quase como se zombasse de minha surpresa ao vê-la. Não havia sequer um vestígio daquela aura alegre que sempre a rodeava. Tudo que a cercava era apenas um clima sombrio e carregado que parecia me esmagar.

— Então é ela mesmo, não é? Aquela sua colega de classe... Bem que eu imaginava — comentou Seth, parecendo completamente indiferente àquela revelação.

— Sim, parece ser ela, mas...

A garota diante de mim parece o oposto da Elizabete das minhas memórias, essa é mesmo ela? Se sim, o que pode ter acontecido a ela que a fez mudar tanto? E, mais importantemente...

Como ela foi parar ali, naquela hora, naquele lugar? O que ela estava fazendo?

— Liza, eu não tô entendendo nada! — gritei, confuso.

— Não é necessário que entenda, apenas venha e me entregue seu sangue. Não gostaria de tornar-se imortal? Poderíamos ficarmos juntos pela eternidade!

— Entregar meu sangue a você...? Liza, então você...

Então ela realmente se tornou um deles... uma vampira?

Como isso foi acontecer? Afinal, o que diabos aconteceu nesse tempo todo que ficamos separados?!

Não, isso não importa agora... O que realmente importa é...

Maldições de SangueOnde as histórias ganham vida. Descobre agora