XIII

30 6 0
                                                  


Voltei a sonhar com formas abstratas e quadros surrealistas, sem emoção alguma. Minha irmã ficou contente em me ver sã de novo, mas eu não consegui retribuir. Não consegui sentir muita coisa.

Eu vi ele umas vezes depois, no campus. Tinha olheiras. Não me olhou. Não consegui sentir muito.

Mesmo contando esta história, eu não consegui evocar nenhuma das emoções que eu lembro tão vividamente. Por meses achei que o venci em seu próprio jogo, algo do gênero, mas talvez não seja bem assim.

Sabe, na época que eu estive junto com ele a vida era um reflexo porco dos sonhos, da paixão do amor que eu sentia enquanto dormia. Eu pensei que tinha me livrado disso. Pensei.

Eu sonho hoje e não sinto nada. Eu acordo hoje e não sinto nada.

Talvez ele tenha esgotado as emoções em mim. Talvez tudo tenha se passado na minha cabeça e eu preciso de ajuda. Eu não sei, e simplesmente não ligo.

Então, de novo, eu te perdoo. Entendo como é sonhar com alguém assim. Quem sabe eu tivesse te traído também.

Sonhei com você ontem, e por isso fiquei com vontade de te escrever esta carta. Quando eu acordei até acreditei que quem sabe fosse algum sinal. Que quem sabe eu sentisse alguma coisa. Que quem sabe eu deveria responder às suas mensagens, ou te ligar.

Mas eu não sinto mais nada por você. Não sinto mais nada por ninguém. Espero que entenda.

Sonhei com VocêOnde as histórias ganham vida. Descobre agora