XII

20 2 0
                                                  

Havia dez homens me cercando e arrancando a minha roupa. Todos ele. Todos com aquele sorriso. Socavam-me com aquele sorriso, violentavam-me com aquele sorriso, as mãos duras apertando tanto meus braços que os ossos estalavam. Senti o medo, a impotência, mas senti também pena. As emoções fortes vieram e foram, e no final eu me vi encarando um deles, o que estava em cima de mim enquanto os outros seguravam meus membros. Olhei-o não com raiva, não com medo. Olhei-o sem emoção alguma.


"Ninguém nunca vai te amar."

Sonhei com VocêOnde as histórias ganham vida. Descobre agora