Capítulo 85

2.1K 225 18

O dia da audiência chegou, o dia que poderia mudar a vida de Savannah e a minha.

Estár em um local com autoridades, era um pouco desafiador. Eu havia planejado a minha acusação. Estava pronta, não haveria hora melhor para isso. Já fazia algumas horas que a juíza lia os termos da guarda aos menores de idade. Savannah estava desenhando no banco junto com Karen. Eu estava despreocupada em ficar de olho nela. Tentando manter total atenção na mulher que dali tinha  autoridade maior.

- Gostaria que o réu acusado, ouvisse sem questionar ou importunar. Quando for sua vez se defenderá. - Josefh concorda sem fazer contato visual.

A juíza fez sinal para eu começar.

- Bem, eu vou ser o mais breve possível. Há alguns anos atrás quando descoberta a doença de Savannah, Josefh fez questão de deixar bem claro para todos da família que ele estava indo embora pois não merecia uma filha assim. Em todos esses tempos minha mãe trabalhava para sustentar nós duas - suspiro ao lembrar dela. - Com todas as dificuldades encontradas, ela nunca se deixou abalar. Eu me sinto responsável por minha caçula, já que desde cedo era eu que cuidava dela. Nunca deixando-a sozinha ou em alguma situação arriscada. Quando sua doença ficou mais grave, vi que minha mãe estava debilitada para ficar longe dela, temendo que o pior acontece-se. Pois bem, fui atrás de um emprego, para poder pagar o tratamento dela, foi nesses tempos que Josefh reapareceu.

Quase começo a chorar.

- Mesmo com o tratamento dando certo, a surpresa inesperada no hospital, ela precisava de um transplante. Sem pensar duas vezes minha mãe salvou sua vida, desde então sou eu que venho acalentado o coração dela. Pois era eu que estive todos esses anos ao lado de Savannah.

- O réu de pode se defender.

- Emma você sempre foi muito explosiva como sia mãe. Você falou do emprego, mais desde quando trepar com seu cliente é profissão? Para mim isso é prostituição! Então você se vendeu para poder pagar um tratamento falho. Talvez se não fosse esse tratamento sua mãe ainda..

- Controle-se Josefh, ou serei obrigada a lhe tirar desse tribunal.

- Eu tenho certeza que sou uma imagem muito melhor para Savannah do que você. É isso.

***

                      Horas depois.

Fui para casa ainda apreensiva, ele não havia se quer caráter para me tratar assim perante tanta gente. Ele foi de um nível muito baixo, sendo assim me deixou mais aliviada.

Ele não fez nem questão de dizer o quanto ela era importante para ele, ou
talvez nem era.

Savannah estava contente apesar de nem saber o que estava acontecendo ao certo.

Fomos almoçar junto com Matthew, no restaurante de Charlie.

- Pode ter certeza que iremos conseguir - ele sorria, beijando minha testa. Savannah estava comendo macarrão com almôndegas, seu rosto estava sujo de molho e na sua mão havia dois garfos.

- O que acha de começarmos a organizar nosso casamento. Cerimônia, festa, decoração - Matt estava romântico. Isso me encantava. Apesar de preferir ele tarado.

- Algo simples, o que acha? - perguntei tímida.

- Acha que minha mãe vai querer algo simples? - tenho total certeza que não.

- Eu não gosto muito de exagero - começo a rir.

- Savannah o que acha de sua irmã e eu nos casar em Malibu? - olhei para a pequena que prestou atenção na pergunta.

- Eu vou poder escolher a comida? - ela está seria. - Eu queria muito sorvete e mondegas.

- Almôndegas meu amor - explico e começo a rir.

- Tudo bem, terá tudo o que quiser - estávamos ferrados.

Nesse exato momento, cercam a entrada com carros da Polícia. Agarrei Savannah com medo de alguém machuca-la. Olho em volta procurando alguém que possa ser procurado mais não achei ninguém. Seus polícias armados caminham pelo restaurante, pedindo "calma".

- McVay. Você está preso, por homicídio qualificado, já temos ordem de prisão e terá que ir para a delegacia.

Querida BabáOnde as histórias ganham vida. Descobre agora