— Você é bom nisso. – Admito.

— Eu posso fazer todas as mulheres desse hotel me desejarem. – Ele sorri. — Não se esqueça do seu compromisso as nove.

Bufei olhando para Aaron ele só poderia estar brindando quando achou que eu realmente levaria isso a sério.

— Você não está falando sério, está? — Gritei.

O vento forte e gelado fazia todo meu corpo se arrepiar de frio, a única coisa que cobria meu corpo nu era um casaco felpudo que Aaron havia trago para mim. Cruzamos a Main Street e aos poucos a Cooper's Beach surgiu no fim da rua.

— O que acontece se eu não fizer? — Cruzei os braços sobre o seios.

— Eu pensei em muitas formas de te castigar. E acredito que eu vou gostar de todas elas.

— Você é sujo.

Deixei o casaco em cima do estofado do carro tentando me preparar para cumprir a aposta que perdi para Aaron que ria sem parar. O vento parecia mais forte e mais gelado do que antes, a única coisa que cobria meu corpo era o casaco de pêlos que eu havia comprado. Senti o vento enrijecer meus seios e a areia congelar meus dedos assim que encostei o pé.

— Gostosa!

Eu demorei para raciocinar que estava correndo nua pela praia até Aaron buzinar para mim indicando a quantidade de pessoas que me observavam de longe. A areia gelada servia de apoio para meus pés que estavam quase congelando assim como todo meu corpo que estava totalmente exposto.

— Você foi ótima! Correr pelada é o seu dom. – Aaron riu enquanto batia palmas.

— Eu nunca mais vou fazer isso. Nunca mais.

— Você gostou de se sentir livre, então, qual a problema?

— Será que alguém filmou isso?

— Eu espero que sim porque eu quero me lembrar desse momento para sempre. – Aaron riu.

Gemi de frio enquanto tentava me aquecer com o casaco de Aaron que observava sorridente o meu jeito desengonçado de se cobrir. O tempo estava frio mas o céu ainda se mantinha estrelado e era nestes raros momentos de paz que eu finalmente conseguia me sentir bem. Espiei Aaron de relance apenas para me certificar se tudo aquilo era real.

— Eu te amo. – Sussurrei.

Aaron sorriu. Não precisava dizer nada. Estar ao seu lado me deixava leve e essa era exatamente a sensação que eu queria sentir. Amor. Sem pressão, sem dor.

— Amanhã vamos embora no final da tarde. – Resmungou.

— Eu queria poder ficar mais. – Suspirei. — Voltar à rotina não vai ser nada fácil.

— Nós vamos poder fazer isso de novo. – Ele sorriu.

O sol queimou de leve minha pele assim que eu abri as cortinas cor de rosa do quarto, Aaron ainda dormia pesadamente com os lábios entreabertos e a coberta cobrindo seu corpo. Meu coração ainda batia forte, cada lembrança da noite que passamos juntos me fazia delirar e querer sentir novamente.

Linda provavelmente iria ficar louca quando eu contasse os detalhes para ela. Calcei as botas de couro preta e prendi o cabelo no coque mais alto que consegui fazer, me olhei uma última vez no espelho antes de correr para sacudir Aaron.

— Você já dormiu demais. – Beijei sua bochecha.

— Eu gostaria de ser acordado assim todos os dias.

Aaron levantou sorridente mas saiu apressado para o banheiro, ele sabia que não tinha como adiar nossa volta. A ardência entre as minhas pernas me fazia mancar e Aaron ria debochando de mim, ele sabia que nossa noite de prazer havia deixado sequelas não só emocionais.

Doce SeduçãoLeia esta história GRATUITAMENTE!