Capítulo 1 - Fogo e pólvora

3.9K 609 919
                                                  


Eu não consigo acreditar nas palavras de meu pai. Não pode ser possível! Eu confio no Jeremy, sei que meu marido não seria capaz de roubar. Ele não precisa roubar. A Construtora O'Connor é tão bem sucedida quanto a Companhia Underwood. Alguma coisa está errada e eu vou descobrir.

Jer não esconde o espanto. Ninguém esconde, com excessão de meu pai, tio Bruce e todos que fazem parte do financeiro.

— Está mesmo acreditando nisso pai? — questiono incrédula.

— O vídeo mostra que eu estou certo. — meu pai altera a voz e aponta seu indicador pra mim.

— Eu não roubei nada. — Jer responde calmamente. — Por que motivo, razão ou circunstância eu roubaria da sua empresa? E pode baixar o tom de voz. Sarah só fez uma pergunta e você não tem o direito de gritar com ela. Se acha que nós temos um problema resolva comigo. — meu marido coloca-se de pé.

O clima da sala pesa. A tensão é quase palpável no local. Meu coração aperta no peito e tudo o que eu consigo fazer é clamar a Deus mentalmente.

— Olha, eu não sei por que você roubou, mas as imagens não mentem. — papai vai até seu notebook e coloca um vídeo rodar no telão.

As imagens mostram Jeremy falando com homens mal encarados em um cassino clandestino. O vídeo não tem áudio. Ele está com uma grande mala preta. Os homens abrem a mala, revelando muito dinheiro.

Não pode ser verdade!

— Vejam! Jeremy O'Connor roubou a Companhia Underwood. — tio Bruce encara todos seriamente.

— Isso é mentira! Eu não conheço esses homens, nem esse lugar. Por que eu roubaria a sua empresa se tenho mais dinheiro do que você? — o grito de Jer ecoa pela sala.

— Isso você responderá à polícia. — papai respira fundo. — Irá pagar pelo que fez, Jeremy! Nunca pensei que iria decepcionar-me dessa forma.

— Acredita nisso, pai? O que nos garante que Kellan ou Camile não estejam por trás disso? — crispo os olhos.

Kellan Ferris e Camile Potter, pessoas que quase arruinaram nossas vidas no passado. Quem sabe, eles podem estar de volta e querendo vingança.

— O fato da cara do Jeremy estar na gravação, filha.

— O que faremos com relação a isso? — um dos acionistas questiona.

Lanço-o um olhar mortal, inevitavelmente.

— A polícia já está sabendo do caso, mas ainda não tomará nenhuma providência. Avisei-os hoje. Mandarei o vídeo para um especialista, ele dirá se é real ou não. Até lá, sim, eu desconfio de você, Jeremy O'Connor. — meu pai fala com firmeza.

— Você verá que está errado! Há uma semana atrás eu estava em casa. Não saí para nenhum lugar que não fosse a Construtora ou a igreja. — Jeremy deixa a sala de reuniões.

— Eu não acredito nisso, pai! O Jeremy? Desconfie de qualquer um deles que estão nesta sala — aponto para os acionistas e fornecedores — mas o Jer? O seu genro, pai do seu neto? Por que ele faria isso? Claramente é alguém tentando nos afetar e o senhor está dando o que ele quer. — minha voz fica embargada.

— Estou defendendo minha empresa. — seu grito ecoa pelo local. Mais um grito.

Papai está alterado. Nunca o vi dessa forma. Talvez, o Benjamin Underwood que esteja a minha frente seja o mesmo que mamãe conheceu quando eles se casaram através de um contrato. Um homem frio e egoísta que preocupa-se somente com seus ideias, com seu próprio bem-estar e querer.

Indelével | spin-off de Contrato de AmorOnde as histórias ganham vida. Descobre agora