Prólogo

4.9K 595 668
                                              


Minha história não é a mais convencional. Não poderia ser. Até porque sou filha de um Deus nada convencional, o impossível e o surpreendente são suas especilidades e Ele as cumpre num simples pensamento seu.

Deus em sua infinita bondade concedeu-me inúmeros presentes ao longo dos meus vinte e cinco anos. Sempre me fazendo esperar o inesperado, o Senhor deu-me presentes em que questionei a embalagem que vieram embrulhados, como meu marido Jeremy. Com o tempo, descobri que a embalagem era linda por dentro e por fora.

Mas o maior presente que meu Pai celestial concedeu-me foi o pequeno e adorável Rick.
Alaric Underwood O'Connor tem cinco anos, disposição e ânimo que só podem ter sido herdados de sua tia Alice e de sua tia avó Lauren. É minha cópia perfeita, cabelos loiros e olhos azuis. Um menino esperto demais para idade, suas notas sempre são as melhores da turma. Meus pais, como os avós corujas, têm muito orgulho do neto. Rick carrega Jesus em seu coraçãozinho puro e inocente e esse fato faz toda nossa família alegrar-se.
Jer é o legítimo pai babão. Ele e Rick fazem tudo juntos, desde orar até jogar futebol.

— Comporte-se e não corrija seus colegas se eles errarem alguma coisa. Eu te amo. — beijo a bochecha de meu filho.

— Eu sei, mãe. Também amo você. — Rick fez bico.

A coisa mais fofa do mundo.

— O papai vem buscá-lo mais tarde, filhão. — Jer sorri para ele, o qual retribui o sorriso e entra para a sala de aula.

— Ele está cada dia mais lindo. Cresceu tão rápido. — comento enquanto entramos no carro.

— Puxou ao pai.

— Você não muda mesmo. — rio.

— Por que será que seu pai pediu essa reunião de urgência?

— Não faço ideia. Mamãe disse que o pessoal do financeiro foi lá ontem e ficaram horas no escritório conversando com papai.

Havia tornado-me acionista da Companhia Underwood há quatro anos. Jeremy, sendo presidente da Construtora O'Connor, mantém o laço entre as duas empresas mais forte do que nunca. Ambas lideram o mercado dos Estados Unidos e de todo continente americano.

Ocupando altos cargos na Companhia estão papai, na presidência, tio Bruce é seu vice. Detenho um grande percentual de ações, assim como meu primo Ethan. Por outro lado, tia Lauren e Alice promovem eventos de moda por todo país. Alice e Ethan têm uma menina de quatro anos, chamada Sophia. Mamãe cuida da ONG que leva seu nome. Infelizmente, Angelina Smith-Underwood faleceu há quatro anos, deixando saudades e um grande legado para trás. Vovó teve uma parada cardíaca e não resistiu. Foi um dia cinzento para todos nós.

Há anos atrás tinha planos para cursar jornalismo, por fim, acabei cursando administração e sigo com o negócio da família. Basicamente, a Companhia Underwood financia projetos pelo mundo todo. Estou prestes a  cursar contabilidade, porém, desejo fazer isso depois que Rick ficar mais velho.

A reunião será realizada na sede da Companhia Underwood, aqui em Los Angeles. Não entendo por que a presença de Jeremy está sendo solicitada, afinal, os projetos da O'Connor, financiados pela companhia, estão a todo vapor, nenhuma alteração ocorreu.

— Já falei com tia Lauren e com a Lice. Elas já conseguiram todo o material para a decoração do Rick. — sorrio para meu marido.

Nosso filho completará seis anos no final do mês. Ninguém melhor que minha tia e minha cunhada para preparem a festa. Mamãe fez questão de fazer parte e ajudar com tudo. Ela foi muito presente, ainda é, na minha vida e na vida do Rick. Acho que ela tenta dar ao neto todo o amor que ela não pôde me dar quando criança.

Indelével | spin-off de Contrato de AmorOnde as histórias ganham vida. Descobre agora