For every story tagged #WattPride this month, Wattpad will donate $1 to the ILGA
Pen Your Pride

tudo mudou

7 0 0

A única coisa que me lembro é de ter acordado no hospital, meus braços enfaixados, como se tivesse quebrado, mas sem o gesso, não lembrava de nada, acordei e não tinha ninguém na sala, vi pela janela minha mãe gritando:
-DEIXA EU ENTRAR, É A MINHA FILHA QUE ESTÁ LA DENTRO, NÃO TIREM ELA DE MIM..
bom, nesse mesmo momento uma enfermeira entra na sala, ela me olha, da um sorriso, como se eu a conhecesse, aquele olhar, aquele sorriso, e ela diz:
-Olá Alice! Vejo que acordou, como está?
Então respondo:
-Olá, estou bem, te conheço de algum lugar? Tenho a impressão
Ela me olha e seus olhos enchem de lágrimas, e ela diz:
-Sim, vc deve me conhecer, te atendi quando tinha 8 anos, e fez um ferimento no queixo..
Fico impressionada, como ela lembra disso.., mais mudei de assunto..
-Por que não querem deixar minha mãe entrar?
-Alice, tem coisas que você precisa saber, achamos que sua mãe não dava a atenção suficiente para você, a ponto de você quase cometer um suicídio, bem debaixo da ponta do nariz dela... -diz a enfermeira
-Mais ela não tem culpa, ela sempre se preocupa, eu que não deixei com que ela se preocupasse.. -então eu disse
-Alice, ela é a sua mãe, ela tem que se preocupar com você, ela não pode desistir de você, como eu desisti.. -depois da ultima palavra, ela ficou com uma cara de "não devia ter dito isso" , mais resolvi perguntar:
-Como você desistiu?
-Sim, como eu desisti de te criar minha filha, a única coisa que eu me arrependo e muito, é de ter te abandonado, se não fosse por mim, você não estaria cortada, machucada, me perdoe -disse ela em meio às lágrimas
Fiquei sem reação, completamente sem reação, a porta da sala estava aberta, me levantei e fingi que iria abraçar, mais, sai correndo pela porta, os seguranças correram atras de mim, eu não parava de correr pelo hospital, entrei no elevador e fui até a saída e consegui fugir, eram praticamente 23:30 da noite, não sabia para onde ir, só pensava na enfermeira, na mentira que eu vivi esse tempo todo, comecei a andar, e peguei o ônibus, olhei para o lado, e quem encontro? Alicia, chorando, e ouvindo música , pergunto a ela o que aconteceu, e ela conta:
-O Douglas, ele disse que tem outra, ele disse que não me ama mais, ele disse que só pensa em outra pessoa...
Abraço ela e tento consolar, desço do ônibus, no ponto de minha casa, mais não queria ir pra lá, nesse momento recebi uma mensagem de Douglas..
-Olá Alice! Venha em casa preciso falar com você...
Douglas, era da outra rua, desci a rua até a casa dele, comprimentei ele e perguntei o que ele queria, ele disse que é muita coisa que era melhor eu me entrar, bom foi isso que eu fiz, sentei na cama dele e ele do meu lado, ele me deu a mão e começou a dizer coisas e eu só conseguia pensar na enfermeira :
-Alice, você não tem ideia, de quanto eu gosto de você, em tanto tempo você se tornou tudo...
Você se lembra do nosso primeiro beijo? -diz ele
-Que beijo? -disse eu, meio desentendida
-Esse que vai acontecer agora -diz ele....

Não pode existir diferenças? É errado ser diferente?Leia esta história GRATUITAMENTE!