For every story tagged #WattPride this month, Wattpad will donate $1 to the ILGA
Pen Your Pride


Gente linda do meu coração, I'm back! 

E eu tenho uma notícia ótima u.u como eu sou uma exagerada, esse capítulo ficou muuuito grande aí resolvi deixar ele ainda maior e transformei em dois kkkkk então daqui a pouco posto o resto!! Amo vocês ♥

Espero que gostem do capítulo e BOA LETURA!!

Beijocas, Lelly!! ♥

~~ ♥ ~~

 Dois dias tinham se passado desde o incidente com o frango e agora Edu parecia querer quase distância de qualquer comida quando estava comigo e eu não sabia se achava isso triste ou engraçado. Só que além disso tinha todo o comportamento estranho do moreno dos olhos azuis, eu não sabia se o problema era eu ou ele, mas alguma coisa estava errada. Disso eu tinha certeza.

E é claro que Lena não deixou pra lá a história com os dois morenos no meu apartamento e ainda fez questão de espalhar para o marido que, de acordo com ela, meu fogo era muito para ser apagado por um cara gato só. Nessa hora eu quis que o chão se abrisse e me engolisse. As piadinhas só acabaram quando eles ficaram sabendo do meu quase envenenamento, Miguel só faltou me pegar no colo e me levar para o hospital, mas felizmente antes disso eu consegui convencê-lo que estava tudo bem. Só que depois de tudo isso Lena me encarou com aqueles olhos escuros que eu tanto amava me repreendendo.

- Lisa, o que exatamente você está fazendo com os dois? - ela perguntou séria. - Nós duas sabemos que alguém está sobrando nessa equação, então é melhor você decidir logo quem é, se não muita gente vai sair machucada.

Eu não soube o que lhe responder, por isso só fingi estar com sede e fugi para a cozinha enquanto ela e Miguel voltavam a se pegar em meu sofá. Mas a verdade era que eu também queria saber a resposta para a sua pergunta. O que eu estava fazendo com os dois? Desisti de pensar nisso e encarei um dos morenos em questão que estava sentado a minha frente.

- Você veio à praça de alimentação comigo - debochei depois que Edu encarou o nada e não disse uma única palavra em quase cinco minutos.

Ele riu voltando sua atenção pra mim. Estávamos no shopping depois que não conseguimos escolher um lugar para ir.

- Eu tinha que alimentar a fera, não é mesmo?

- Bobo.

- Eu tento.

- Mas eaí? Como foi com o seu cupido sexta? - quis saber.

- Eu não sei se "Bom" ou "Ruim" descreveriam nosso encontro. Surpreendente seria melhor.

- Agora você conseguiu mesmo me deixar confusa, posso saber sobre o que conversaram?

- Sobre a minha... - o som irritante do meu celular o interrompeu e peguei o aparelho quase gemendo de frustração.

- Mas que merda! Quem pode ser numa hora dessas? Há claro, obviamente tinha que ser o idiota - reclamei olhando o nome na tela e me virei para Edu. - Você pode me dar licença um instante? Eu tenho que atender. E é bom ele estar morrendo se não eu mato ele.

- Fique a vontade - o moreno deu um sorriso, mas parecia triste. - Depois a gente continua.

- O que você quer? - perguntei a Anthony logo que atendi.

- Olá pra você também, Elisa - ele ironizou e eu não pude deixar de notar que havia me chamado pelo nome. - Só liguei pra saber se ninguém tinha tentado te envenenar outra vez.

Contrato de Amor ✓Leia esta história GRATUITAMENTE!