QUARENTA E CINCO: NICHOLAS

1.2K 143 29

— Você voltou cedo. — disse a minha mãe logo após eu entrar em casa, meu corpo ainda estava em êxtase pelo o que tinha acontecido há minutos atrás. Eu e o Derek, nossos beijos e amassos, tudo estava tão recente dentro da minha cabeça.

— Ah, eu só fui conversar com o Derek. — menti, e embora eu estivesse com um sorriso enorme no rosto, minha mãe acreditou. — E voltei porque estou cheio de sono, acho que vou tomar um banho e ficar no quarto mesmo.

— Tudo bem, o seu pai precisou sair e deve voltar em alguns minutos, eu não fiz o jantar mas ele vai trazer comida para você, se quiser, deixarei a sua na geladeira. — ela sorri e então passa uma das mãos em meus cabelos bagunçados, dessa vez a culpa era do Derek, havíamos bagunçado completamente tudo.

— Acho que não vou precisar, mas obrigado mãe. — é o que respondo depois de um rápido abraço de despedida, tudo o que eu precisava para finalizar a noite era um belíssimo banho e uma boa noite de sono para sonhar com aquilo que eu mais venho almejando, o meu futuro ao lado do Derek.

**

A minha tentativa de conseguir dormir após o banho foi totalmente por água à baixo quando a imagem da Alison apareceu na tela do meu notebook, atrapalhando um dos meus episódios de Gossip Girl. Era uma chamada de vídeo no Skype, e eu não poderia recusar, eu havia prometido a ela que conversaríamos quando eu chegasse em casa, e além disso, queria saber das novidades.

Então, lutando contra o meu desejo maior de ignorar a chamada e continuar o episódio onde finalmente a Serena destrona a Blair outra vez, eu cliquei em aceitar.

— AAAAAAAAAAAAAH! — o grito da Alison faz meus ouvidos doerem e por apenas um minuto eu me arrependo de não ter retirado os fones antes de ter aceitado a chamada. — Que saudade dessa sua carinha de bunda, Nich. — ela sorri.

— Meu Deus, Alison, precisa gritar? — reviro os olhos enquanto falo. — Tenho que admitir que senti saudades de você também, como estão as coisas ai em Santa Mônica? — questiono enquanto mordisco a manga da minha camiseta.

Alison estava inquieta do outro lado da tela, como se estivesse rabiscando algo. Era óbvio que ela estava, ela não usava óculos à toa. Seu cabelo ruivo estava preso em um coque alto, com alguns fios desgrenhados lhe dando uma beleza natural naquele moletom cor nude.

— Um pouco tedioso, a gente saiu algumas vezes para ir ao parque e outros lugares mas agora a Victoria está namorando, então as coisas estão fora do normal por aqui, não vejo a hora de voltar para casa e me reencontrar com vocês. — ela diz e eu tento forçar minha memória para me lembrar de quem é a tal Victoria, por sorte, não sou tão lerdo assim.

Victoria era a prima da Alison, e ela era uma pessoa legal até decidir por vontade própria que garotas boas só devem namorar garotos maus, foi assim que ela mudou completamente o seu jeito de ser e isso à afastou da Alison.

— Mas não vamos falar de mim, o assunto aqui é você e o Derek, como vocês estão? — ela continua antes que eu diga alguma coisa. — Por que essa viagem terminou tão rápido assim? E vocês estão.. — ela demora para dizer a palavra e isso me causa desconforto. — Namorando?

Falar sobre minha situação com o Derek ainda causa um efeito estranho em mim.

— Estamos bem, eu acho. — falo a verdade. — A viagem foi boa e a gente aproveitou o que deu, eu gostaria de que tivesse durado mais, mas não me arrependo. E a gente precisou voltar de viagem porque a minha mãe teve uns problemas e precisou da minha presença, é algo que eu te conto pessoalmente quando voltarmos para o colégio.

Alison confirma com a cabeça, agora o que quer que ela esteja rabiscando, ganha o tom de amarelo. — Claro que você me conta, isso se você não me deixar sozinha outra vez para ficar naquele seu novo grupo de amigos, eu não sei porque você insiste em se sentar com eles e forçar uma amizade que você sabe que não existe.

Me pergunto se iria ser grosseiro fechar o notebook e não responde-la.

— Eu não estou forçando amizade, e eles são legais. — arqueio uma das minhas sobrancelhas na defensiva. — Você deveria conhecê-los, Ali, eu posso apresentar eles para você.

E eu realmente poderia. Desde que eu me afastei da Kimberly, do Derek e da Alison, o Lorenzo, a Mia e o Michel se tornaram importantes para mim, não da mesma forma que os outros, afinal ainda era algo recente, um recomeço. Eles não me julgavam por eu ser eu, não me julgavam por eu ter opiniões diferentes e defender coisas que talvez outras pessoas não defendessem, e acima de tudo, eles eram como eu.

O Lorenzo também era gay, e isso tornava tudo mais fácil entre nós dois, nosso diálogo fluía de uma forma diferente, o mesmo acontecia com a Mia, já o Michel era mais reservado.

— Pensarei nisso quando eu voltar de viagem, agora eu tenho algo para mostrar para você e depois disso eu.. — Alison é interrompida por sua mãe, tia Lory, que aparece logo atrás. — O que? Ah, eu já estou indo.. sim.. é o Nicholas, mãe.. Ah.. Sim, pode dar tchau para ele, ele está vendo.. Uhum..

Logo tia Lory se abaixa um pouco e então acena para mim, é algo rápido, mas eu consigo acenar de volta antes que ela se levante e saia de perto da Alison enquanto resmunga algo que eu mal consigo ouvir.

— O que foi?

— Ela veio me chamar para o jantar — Alison riu antes de continuar. — E disse que você estava bonitinho, você ouviu isso?

Nego com a cabeça.

— Tudo bem, eu tenho pouco tempo, portanto, olhe atentamente para essa tela, Nicholas Danvers. — como ela ordenou, eu fiz.

Alison aproximou da tela um folha de caderno onde ela havia acabado de desenhar, o talento dela era incrível. No desenho estava a Kimberly próxima a Alison, ambas abraçadas enquanto seguravam uma pequena garrafa de coca, ao lado das duas estava eu e o Derek, de mãos dadas. Atrás de nós quatro, estavam o Justin e o Tony, no desenho ambos pareciam ser pessoas boas, mas na realidade — ao menos na minha realidade — eles eram pessoas terríveis.

Depois do Ritual (Romance Gay)Leia esta história GRATUITAMENTE!