"Disseram que você iria saber hoje.... não sei o que quer dizer, mas por favor, não ande sozinha por aí, se você quiser eu até posso vir te buscar ou..."

"Nem termine, não quero que venha me buscar, sei cuidar de mim, e se alguém tivesse algo contra mim por que não falaria diretamente comigo?"

"Eu não sei... Só sei que me disse para me afastar de você e te deixar sozinha... Eu nem devia estar aqui, mas estou por você." diz.
Estou por você? que clichê mais lixo.

"Agora eu tenho que trabalhar." digo.

"Você não vai me perdoar por aquilo que eu nem fiz, não é?" pergunta ele.

Apenas olho para o lado fitando a parede ou seja lá o que for, e então ele suspira, se levanta e caminha em direção ao elevador.

Meu telefone toca. Merda.

"Mia, venha até a minha sala por favor." diz aquela maldita voz.

Logo estou sentada na cadeira a sua frente.

"O que ele estava fazendo aqui?" pergunta.

"Nada de relevante. Já disse para ele não aparecer mais no meu ambiente de trabalho." digo simplesmente.

"Vocês ainda estão juntos?" pergunta me avaliando.

"Não,não estamos. Mas não acho que deva se importar com o relacionamento de seus funcionários."

"Caralho,o que foi que eu fiz, mulher?" pergunta.

"Do que tá falando?" me finjo de desentendida.

"Nem percebi que você está brava comigo." diz irônico.

"Quero saber o porque." diz.

"Bom, eu não quero falar o porque." digo.

"Se você não me contar o que está havendo, não tem como eu me desculpar."

"Suas desculpas vão me machucar mais ainda." digo.

"Realmente, elas não funcionam em nada. Mas eu poderia tentar."

"Não quero que tente nada, James." digo e respiro fundo.

Essa conversa já está me tirando do sério.

"Você pensa coisas em voz alta, sabia?" pergunta sério.

"Oh, desculpa."

"Me conta,Mia.... Por favor." pede ele.

"Você é o pior cara que já conheci." digo simplesmente.

Seu rosto demonstra que ouvir isso o afetou.

"Por- por que?" pergunta.

"Você é bipolar, uma hora é ótimo comigo, outra hora é arrogante e me ignora. Eu não aguento tudo isso, me machuca constantemente."

"Porra, eu não quero te machucar." diz e olha para o outro lado.

"Seu humor oscila tanto, e sinto que é só comigo, o que piora tudo."

Ele se levanta e anda lentamente pelo escritório.

"Por que não me diz o que acontece pra mudar tanto comigo?" pergunto e me levanto indo em sua direção.

"Porque eu quero te proteger." diz e bufa.

"Não preciso de proteção." digo e o fito.

"James,para de andar igual um maluco nessa sala." digo e toco sua mão.

Ele para.

"Me desculpa.... por essas coisas. Por favor." murmura enquanto me fita.

"O que disse sobre desculpas?" pergunto.

Meu Chefe É ( LIVRO PAUSADO)Leia esta história GRATUITAMENTE!