Capitulo 84

2.7K 290 10

— Não precisa comentar nada com a Karen, até por que ela não sabe - Matt repetia mais uma vez.

— Eu ja entendi - digo. Novamente no aeroporto. Agora voltando para casa. Voltando para Savannah, eu estava anciosa para vê-la. Como eu queria pegar ela em meus braços e não soltar nunca mais. Acho que era assim que mamãe fazia com a gente.

As duas mulheres já não estavam mais conosco, aliás Matthew havia dito para elas que seria bom mudarem de endereço. Micael e Karen estavam num clima todo Love.

Ela havia chegado tão suja e com muita fome, ele ajudou ela com o banho e tratou de comprar suas comidas prediletas. Eu duvidava que ele havia ajudado somente no banho, mas tudo bem.

Enquanto sentavamos nas poltronas, eu conseguia ver que as mulheres da fileira ao meio não paravam de olhar para Matthew. Um certo ciúme veio à tona. Seria tão bom, se todos os problemas fossem apenas ciúmes.

— Tenho que te contar uma coisa.

— Eu não aguento mais, esse " tenho que te contar uma coisa" - eu sempre penso, ih lá vem.

— Notícia boa pelo menos - ele ri, segura minha mão e leva ate seus lábios para dar um beijo nela. Será que as mulheres estavam ainda olhando? Espero que sim.

— Então é sobre o que?

— Eu pedi para um advogado, entrar com um pedido de guarda na justiça. Daqui três dias vamos ter que comparecer perante o juiz para provar que temos condições de ter a guarda de Savannah.

Ter a guarda de Sasah era tudo o qie eu queria, até mesmo se não tivesse eu iria rapta-la. Ela era meu maior bem, desde quando ela nasceu tudo o que fizemos foi por ela e para ela. Nossa guerreirinha iria ficar muito feliz. Apesar de eu esperar que Josefh não iria ficar nada contente.

Foda-se. Nunca deu valor a ela, não seria agora que iria dar.

— Emma deverias ter uma creche, já que gostas tanto de crianças - Matt ri.

— Eu adoro crianças - sou de ombros envergonhada.

Ele se aproxima de mim, esfrega sua barba no meu rosto me fazendo rir. Carinhosamente beija minha bochecha.

— Ainda bem, pois eu estava pensando... - seu rosto fica vermelho - que poderíamos adotar uma criança.

Querida BabáOnde as histórias ganham vida. Descobre agora