59

359 27 0

"Está a ser um bom treino rapazes!" dei um high-five a todos conforme se sentavam no banco onde eu estava para descansarem antes de retomarem a actividade física. O Pizzi sentou-se ao meu lado e eu entreguei-lhe a garrafa

"Depois do treino?"

"Sim" suspirei "Estás nervoso?"

"Um bocado. Aposto que tu estás mais" acenti com a cabeça que sim e soltei uma gargalhada ansiosa. Ele sorriu-me e esfregou discretamente a minha barriga antes de regressar ao relvado "Vai correr bem"
Fiquei ali sentada a matutar as diferentes hipóteses de reação do meu pai à notícia do namoro, e nem imagino à de ser avô daqui as uns meses. Tanto pensei que nem dei pelo tempo passar tão depressa. Os jogadores já tinham ido todos para o balneário menos o Pizzi, que ainda estava no relvado à minha espera. Levantei-me e fui até ele. Vi pelo canto do olho o Raúl, o Grimaldo, o Franco e o Fejsa no túnel à espera de ver o que se sucedia.

"Pai?" gaguejei, estava mesmo nervosa. Ele virou-se para nós

"Diz?" estava confuso, dava para ver. Senti um nó na garganta, não conseguia falar. O Pizzi agarrou a minha mão, entrelaçando os nossos dedos. O meu pai não saiu da posição, apenas desviou os olhos para as nossas mãos e depois para mim.

"Eu e o Luís namoramos" praticamente cuspi as palavras, e fiquei à espera de ouvir um berro. O meu pai fez um sorriso sem os dentes

"E a novidade está onde?"

Ouvi uma pessoa a partir-se a rir no túnel, escusado será dizer que foi o Raúl.

"Espera, o quê?" falei confusa, enquanto o Fejsa e o Grimaldo tentavam acalmar o mexicano no túnel

"Já é mais que óbvio. Já o tinha topado há pelo menos dois meses"

"Então não estás... Chateado?" senti o nervosismo desaparecer

"Não, estás a crescer, e com as vossas confianças já era de prever"

"Então, nesse caso, espero que também tenhas previsto a minha gravidez" o Pizzi olhou-me com os olhos a saltarem das órbitas e depois para o meu pai. Engoliu em seco ao ver o meu pai olhar para a minha barriga e depois para ele. Fitou-o uns segundos.

"Só não te vou estrangular porque gosto da ideia de ser avô" um largo sorriso rasgou-se na cara do meu pai. Sei que lá no fundo estava super contente com a ideia de ser avô e que nem se importava de eu namorar, e que até era um descanso ser com o Pizzi. Desde que ele me fizesse feliz e realmente fazia, e muito. Abraçou-me com força e felicitou-me. Depois abraçou o Pizzi e apenas pediu que cuidasse bem de mim. Não podia ter pedido melhor reacção.

Groupchat (Benfica)Leia esta história GRATUITAMENTE!