57

374 23 0

tens tudo preparado?

A voz do Raúl ouvia-se pelo meu telefone. Estava prestes a contar da gravidez ao Pizzi e não podia estar mais nervosa. E se ele não quisesse ser pai? E se simplesmente me deixasse?

"Já. Tenho medo da reação, Raúl"

Ele vai adorar saber que vai ser pai. Especialmente sendo tu a mãe, Maria. Agora desliga o telefone, respira fundo e bate-lhe à porta. Vai tudo correr bem.

Agradeci-lhe todo o apoio e desliguei a chamada. Era agora.
Saí do carro e bati à porta da casa do meu namorado. Quando abriu, pareceu surpreso pela minha presença.

"Olá meu amor" deu-me um curto beijo e cedeu-me passagem. Ele estava a jogar FIFA "Alguma razão especifica por estares aqui?"

"Hum, por acaso sim..." estendi-lhe um saco preto e ele pegou nele desconfiado "Queria entregar-te isto"

"É o quê?" abanou o embrulho, mas o único barulho foi o plástico do saco a amachucar-se. Sentou-se no sofá e eu acabei por fazer o mesmo. Estava a tremer. Abriu o presente e tirou de lá uma t-shirt

 Abriu o presente e tirou de lá uma t-shirt

Ops! Esta imagem não segue as nossas directrizes de conteúdo. Para continuares a publicar, por favor, remova-a ou carrega uma imagem diferente.

Olhou para mim e riu-se

"The man behind the bump? Não perceb-" calou-se ao olhar para as minhas mãos, que estavam inconscientemente pousadas na minha barriga. Depois de saber que estava grávida e de olhar bem para ela, vê-se perfeitamente que é uma barriga de grávida de uns 3 meses.
Olhou novamente para a t-shirt e depois para a minha barriga novamente. Quase que posso jurar que ele estava com as mãos a tremer. Ficou calado e focado na minha barriga durante uns agonizantes 3 minutos.

"Pelo amor de Deus, diz alguma coisa,  Luís" falei, a minha voz trémula do choro que estava a conter. Levantou a cabeça para me olhar nos olhos e foi quando vi que ele estava a chorar.

"Eu vou ser pai" falou, não tanto para mim mas sim a tentar convencer-se a si mesmo. Revirei os olhos.

"Obrigadinha pela informação, não sou eu que ando com enjoos nem nada"

"Não é isso" ele levanta-se a limpar as lágrimas e levanta-me a mim no ar "Eu vou ser pai, e tu és a mulher mais perfeita que eu alguma vez podia desejar para ter o meu filho. O nosso filho."

Sorri de alívio. Um grande alívio mesmo. Pousou-me no chão e o sorriso que ele tinha espetado na cara continuou lá durante o beijo que me deu.

"Eu vou ser pai!" gritou com o maior sorriso que eu alguma vez lhe vi na cara.

"Acho que agora o bairro inteiro sabe" ri-me e ele riu-se tambem, despindo a t-shirt que envergava e para vestir a que lhe dei. Beijou os meus lábios, depois baixou-se para me beijar a barriga e sentou-se no sofá comigo abraçada a si.

Groupchat (Benfica)Leia esta história GRATUITAMENTE!