Comum

1.6K 85 24

ELIJAH

Deus como eu me sinto retardado. Poderia pelo menos ter trazido meu telefone comigo, mas não. Tudo que eu pretendia era tomar uma bebida gelada e comer alguém, mas tinha que esbarrar nessa desgraçada linda. Agora estou aqui, pelado, com frio e sozinho. Isso é ótimo. Não posso ficar aqui, por que os hospedes vêm logo cedo pra piscina. Tenho que sair, mas não posso andar nu pelo hotel.  Sou o dono porra.

Pondero por alguns instantes que merda que eu posso fazer. Olho ao redor, tenho que lembrar-me de colocar algumas plantas com folhas maiores. Eu odeio essa mulher. Que mulher me dispensa depois de tantas tentativas? Nunca nem precisei conversar tanto. Ouço passos. Pelo menos as luzes de dentro da piscina não estão acesas. Poderia ser pior. Espero que a pessoa se aproxime. Deus mande um funcionário e não um hospede, por favor. Por favor.  Mergulho até os olhos dentro da piscina como um soldado camuflado esperando que a pessoa se aproxime.

- Sr. Thompson? – Pedi demais senhor? Por que não me mandou um homem? A maldita ainda me reconheceu, mesmo mostrando só os olhos.

- Ezera. Você não devia estar na recepção? – A pergunto como se eu não estivesse nu na piscina do hotel.

- Sim senhor. Mas é que fui comprar um refrigerante no bar. Desculpe, já estou voltando pra lá. Temos muitos hospedes chegando logo cedo.

- Você poderia me fazer um favor?

- Que espécie de favor. – Não sexual. Você é bonita e tudo, mas trabalha pra mim.

- Preciso de roupas.

- Roupas?

- Isso. Eu estava tomando banho aqui e dois homens vieram pela praia e levaram minhas roupas. – Vejo suas sobrancelhas se unirem quase que numa fusão.

- Senhor isso é roubo precisamos dar queixa...

- Você pode apenas me arrumar roupas. Pode ir à minha suíte buscar. – Corto seu sermão.

- Tudo bem. – Ela sai andando.

- Corra, por favor. – Ela então apressa o passo. Merda. Apoio os braços na piscina e rio feito um idiota que no fundo sou. Nunca uma mulher me fez sentir tão ridículo. No dia seguinte a procurei por todo Havaí e nada. Mas eu ainda a encontrarei e descontarei toda a minha raiva de um jeito bem reconfortante.

3 MESES DEPOIS....

Ela fala alguma coisa, mas o que eu escuto é isso:  Bla bla bla...

Minha acompanhante é bonita, seus cabelos loiros platinados. Olhos azuis cor de gelo, seios enormes, talvez 400ml de silicone,  mas eu não estou interessado em saber qual o valor da ultima Chanel que ela comprou, ou pra quantas revistas ela já fez capa. Muito menos o que ela da pro seu cachorro comer.  Espero que ela esteja ao menos toda depilada, detesto mulher peluda.

Espero que meu pau levante também, ainda fico vermelho quando me lembro da vergonha que passei com a atriz daquele seriado famoso. Porra, ver a mulher nua na minha frente e ele não levantar por alguns minutos foi muito humilhante, mas pior foi quando ela botou na boca e ele nem reagiu! Tive que fechar os olhos e projetar a imagem dela na minha frente no lugar da mulher linda que me chupava meu pau. Porra! O que aquela mulher fez comigo? Não paro de pensar em Marissa. Ainda lembro-me dela correndo com as minhas roupas me deixando nu naquela piscina. Hoje rio, mas fiquei com ódio dela nos dias que se seguiram. Não sei o que faria com ela se a visse.

- Com licença, preciso beber alguma coisa forte! – Digo para a cabeça de vento na minha frente.

- Eu vou com você! – Ela levanta.

PROIBIDO DE ENTRAR NO PARAÍSOLeia esta história GRATUITAMENTE!