05 O Jardim Secreto de Eva

55 7 0
                                          



Os guerreiros exaustos começaram a descer a montanha, existia um enorme gradeado em formato de rosas circulando um imenso jardim, logo na frente havia a estátua de um homem em mármore ao lado de um cavalo, atrás do homem estava aberto o portão de entrada do jardim, todos ficaram em silêncio por um bom tempo. Davi se aproximou de Zoraide e falou:

– Zoraide, este deve ser o Jardim Secreto de Eva. Como é lindo, olha quantas rosas!

– Como você está com a partida da Sereia?

– Estou mal, mas prefiro não pensar na dor da separação.

– Tudo bem eu compreendo, você disse que isso são rosas? Eu já tinha visto em livros, mas nunca pessoalmente, como são encantadoras. – Zoraide falou com todo o fascínio que as belas rosas trouxeram para seu olhar.

– Vamos entrar? – Paratodo indagou.

– Estou com um pouco de medo. – Diz Mareo e Paratodo logo fez graça.

– Você é um Smoshon, um Verme ou uma ameba?

Todos riram.

– Olha o respeito!

– Davi, por que será que o nome é Jardim Secreto de Eva?

– Eu não sei, Cafil. Zoraide, o que você sabe sobre este Jardim?

– Só sei o que o Zag disse. Há um segredo que deve ser levado para o Planeta Mãe e este segredo nos fará ultrapassar a parte final da terceira fase nos levando direto ao encontro com Etéria, a nossa Nave-Mãe.

Todos entraram e andaram por um labirinto de flores e rosas, o perfume os encantou, de repente chegaram num local aberto no meio do jardim que era coberto com uma vegetação em ramas por cima, este local era um pouco escuro, mas dava para ver que havia uma fonte que jorrava água dentro de um tanque de aproximadamente três metros quadrados. Eles se aproximaram e a água era turva. Davi foi para detrás da fonte e chamou os outros:

– Venham ver isto.

Eles foram indo aos poucos observando as rosas encravadas ao redor da fonte. Por detrás da árvore havia várias estátuas, logo atrás da fonte que jorrava água havia uma mulher em pé, seus cabelos eram longos e estava vestida com um vestido todo bordado, ela estava estendendo os braços para uma menina que estava em cima de uma pedra logo a sua frente, ao redor das duas havia mais onze estátuas, sete de homens e quatro de mulheres.

– Interessante! – Disse Cafil.

– Também achei, qual será o segredo deste Jardim Secreto de Eva?

– Vamos observar, Davi, o que pode ser importante para ser levado para o Planeta Mãe? – Cafil ficou intrigado com tudo o que via.

– A mulher deve ser a Eva. – Disse Zoraide.

– E os doze? – Interrogou Cafil.

– Súditos? – Paratodo respondeu.

– Acho que não, observe o carinho que ela olha para a menina. – Davi apontou.

– Seria uma família? – Interrogou Zoraide.

– Talvez, onde estaria o pai? – Davi falou e ao mesmo tempo respondeu. – Oras, o cavalheiro em frente o jardim, protegendo-os, deve ser o pai!

– Temos uma família? – Cafil interrogou.

– Bem grande. – Davi disse.

Uma luz vindo da estrela amarela refletiu em cima da água da fonte, todos viram armas douradas e correram para pegá-las. Grostin gritou:

– Ouro! É este o segredo do Jardim Secreto de Eva!

Todos pegaram as armas e alguns decidiram seguir caminho, Davi, Zoraide, Cafil, Paratodo e Mareo decidiram ficar mais um pouco.

– Todos já foram?

– Sim, Davi.

– Como eu estava dizendo, duvido muito que o segredo do Jardim sejam armas banhadas em ouro. Elas são valiosas, mas o segredo do Jardim era para nos levar direto para o encontro com Etéria.

– Sim, Davi, acho que devemos esperar mais um pouco. – Disse Cafil.

A medida que a estrela amarela percorreu o céu, os seus reflexos foram passando pelas frestas das ramas acima que cobriam aquela parte do Jardim, não demorou apareceram também pequenos raios da estrela vermelha que passaram pelas ramas, de repente dois filetes de raios amarelos ficaram direcionados nos olhos da estátua da mulher, esse raio ao tocar nos olhos dela foi refletido nos olhos de todas as doze estátuas. Eles foram observando e os filetes de raios vermelhos foram direcionados no peito esquerdo da mulher, esse raio que tocou o peito esquerdo da mulher foi refletido no peito esquerdo de cada estátua.

– O que é isto, Davi?

– Não sei, Zoraide, mas aqui deve estar o segredo, vamos observar.

Num dado momento os filetes amarelos e vermelhos refletidos se encontraram num ponto, Davi pediu para todos procurarem algo de estranho nas estátuas, depois de um tempo, Zoraide o chamou e disse:

– Davi, atrás da mulher há um verso: "permanecem a fé, a esperança e o amor, estes três, mas o maior destes é o amor. Coríntios"

– Estão vendo? É uma família, o brilho dos olhos e o amor nos corações, deve ser isto que significa. O segredo é o amor, mas como podemos encontrar a saída para não precisarmos ir para a última etapa? – Davi continuou se questionando.

– Quando é que o amor na família está completo? – Zoraide indagou.

– Boa pergunta, Zoraide! Vamos pensar. Ora bolas, se o cavalheiro faz parte da família ele deveria está aqui. – Disse Davi.

– Você quer ir buscar a estátua? – Paratodo falou surpreso.

– Claro, vamos lá!

– Mas quando voltarmos as luzes já terão ido embora. – Disse Zoraide.

– Não tem nada, esperamos que elas apareçam novamente.

Eles foram e pegaram a estátua do homem que ficava em frente ao jardim, todos ajudam pois a estátua era de mármore e por isso muito pesada. Quando chegaram, colocaram a estátua próxima da estátua da mulher, eles esperaram para que os reflexos das estrelas aparecessem novamente, aproveitaram para conhecer o belo jardim.

O tempo passou, toda a dança dos filetes da estrela amarela e da estrela vermelha começaram, de repente dois filetes de raios amarelos ficaram direcionados nos olhos da estátua da mulher, esse raio ao tocar nos olhos dela foi refletido nos olhos de todas as doze estátuas novamente, logo após, filetes de raios vermelhos foram direcionados ao peito esquerdo da mulher, esse raio que tocou o peito esquerdo da mulher foi refletido no peito esquerdo de cada estátua, num dado momento os filetes amarelos e vermelhos refletidos se encontraram num ponto, este ponto começou a se mover e foi direto na estátua do homem e por detrás dele apareceu um portal. Davi gritou:

– Deu certo!

Todos atravessaram o portal, avistaram ao longe a Nave-mãe e foram recebidos com louvor e lá aguardaram os outros guerreiros.

Guerreiros dos Mundos - Em Busca do Planeta MãeOnde as histórias ganham vida. Descobre agora