03 A Protetora

39 7 0
                                          


Davi reapareceu no início da terceira fase, agora um pouco desnorteado devido à forma como perdeu a segunda vida extra, sozinho, caminhou e adentrou na mata bem atento. A mata fechada estava deixando o caminho escuro, Davi colheu algumas frutas, descansou e continuou caminhando, ele percebeu que estava chegando ao local onde foi devorado. O guerreiro escutou uma cantoria ao longe, parecida com a vozinha dos Duendes de Feltácio, por isso decidiu ir por cima e subiu nas árvores, até que chegou ao local onde os duendes estavam. Os duendes não notaram a presença de Davi e do alto observou-os, havia um grupo de vinte duendes, alguns se aquecendo numa fogueira, outros treinando algum tipo de luta e outros observando ao redor, de repente os que estavam lutando começaram a se desentender e há uma confusão no meio deles, Davi aproveitou e continuou seu caminho segurando nos galhos e passando de uma árvore para a outra.

Durante um bom tempo Davi se locomoveu pelas árvores até que ele escutou algumas vozes por uma trilha e parou um pouco para observar, tratava-se dos amigos, Sereia e Mareo. Ela estava sentada numa pedra, Mareo estava em pé ao lado e Grostin estava observando o local, aparentemente havia algum tipo de discussão entre eles, Davi se aproximou e escutou a discussão:

– Sereia, é um absurdo! Você quer esperar mais pelo Davi? – Disse Mareo se afastando.

– Quero sim, ele não deve estar longe de nós, o local com os duendes não estava tão distante do início da fase. Poderíamos ter voltado e encontrado com ele, aliás eu queria ter voltado, mas nesse Smoshon eu não tenho minha força total e vocês me impediram.

– Era mais rápido ter se jogado para os duendes. – Diz Grostin irritado – E eu não deixei mesmo... Um absurdo querer voltar, no treinamento se caminha para frente!

– Você tem razão, eu deveria ter me jogado para os duendes.

– Por que essa obsessão por ele? Eu não compreendo, está assim desde o início.

– Grostin, não é obsessão, eu gosto dele, você que é egoísta e não entende.

– E você está saindo uma sereia idiota, nem sei o que faz aqui, o que você vai trazer e implantar no seu mundo? O seu mundo é o local do treinamento é ridículo você estar no nosso meio.

– Eu quero viver no Planeta Mãe, já ouvi que tenho antepassados que são de lá.

Davi ouvindo o desentendimento dos amigos decidiu retroceder um pouco e descer da árvore, logo que desceu Davi saiu caminhando ao encontro dos amigos. Grostin continuou:

– Antepassados que são de lá, que parulha, Sereia!

– Nada irá me impedir de esperar pelo Davi.

– Pois espere! Eu sei bem o que vim buscar neste treinamento, Davi é um excelente guerreiro, mas não podemos esperar eternamente por ele, pode ser até que os duendes o pegaram novamente.

– Não seja rude, Grostin! – Mareo o repreendeu.

Sereia começou a chorar, Davi veio em direção aos guerreiros e disse:

– Nem acredito que alcancei vocês.

Sereia levantou e foi ao encontro do seu objeto de encantamento, Mareo também foi em direção a Davi.

– Atrasamos um pouco para ver se você nos alcançava.

– Obrigado, Mareo, e a você também, Sereia. – Neste momento, Davi a abraçou novamente e foi um abraço apertado e com carinho, Grostin separou os dois e cumprimentou Davi.

Os guerreiros caminharam mais algumas horas, agora a mata não estava tão fechada e eles encontraram novamente o riacho com as pulseiras, sentaram e começaram a analisar como poderiam pega-las sem ser capturados.

– Não tem como, Davi. – Diz Mareo.

– Deve ter uma saída.

– Davi, e se segurássemos uns nas mãos dos outros?

– Sereia, mesmo assim o que estivesse na ponta poderia perder a vida.

– Simples, colocamos o Grostin na ponta. – Sereia deu um olhar fuzilante para Grostin.

– Eu não vou nem responder a você Sereia. Acho que a gente teria que pegar as pulseiras sem entrar na água. – Grostin disse e logo foi interrompido por Mareo.

– Que solução sem nexo, como poderíamos pegar as pulseiras sem ter contato com a água?

Eles ficaram em silêncio por um tempo e Davi falou.

– Grostin, você é inteligente, mas só vejo uma forma de fazer o que você disse.

– Como? Voando? – Eles riram.

– Não, é bem simples... Vamos pulando sobre as pedras, a planta só atacou na parte funda do riacho.

– Claro! – Disse Sereia.

Todos foram para o início do riacho, caminharam um pouco até as primeiras pedras e saíram pulando sobre as mesmas e colhendo as pulseiras, depois de algum tempo terminaram, retornaram para a superfície e foram contar suas pulseiras, eles deitaram no chão e descansaram.

Não demorou uma escuridão avermelhada se apoderou do lugar, Mareo falou que deveriam aproveitar a escuridão e adiantar o caminho, Sereia avisou que achava melhor eles subirem nas árvores e só depois que outra estrela aparecesse deveriam continuar a caminhada. Começou uma discussão entre Mareo e Sereia, Davi escutou um pouco e pediu para os amigos tecerem seus argumentos. Mareo explicou que eles deveriam ganhar tempo, pois já estavam muitos atrasados. Sereia afirmou que não adiantava eles quererem se apressar, pois não sabiam o que apareceria na escuridão, ela afirmou que poderia surgir qualquer tipo de predador naquele local. Como os duendes. Disse também que não deveriam esquecer que já estavam próximo do fim do treinamento e seria importante agir com prudência. Sereia conseguiu convencer os guerreiros e todos foram para cima de uma das árvores que ficava há quase cem metros do riacho.

Eles subiram nas árvores, todas bem frondosas e com folhas enormes e duras que dava para deitar e dormir. Sereia subiu na mais alta de todas e chamou Davi, Mareo sussurrou para os guerreiros:

– Olha o que a Sereia está tramando.

Eles riram e pediram para ele relaxar e descansar, Davi foi até o topo da árvore e se deitou com a Sereia.

– Sereia, eu tenho que te agradecer por agir para que todos esperassem para que eu alcançasse vocês é muito ruim ficar sozinho no treinamento.

– Mas eu não fiz por você.

– E fez por quem?

– Fiz por mim... e pelo nosso futuro filho.

– Filho? No meu planeta é preciso passar por algumas intimidades para ter um filho.

– Aqui também, aliás, para te encontrar no teu planeta eu tenho que ter algo que me ligue para sempre a você, assim te encontro em qualquer lugar que você estiver.

– Calma, uma incógnita de cada vez. Como você diz que foi pelo nosso filho se não tivemos nenhum tipo de intimidade?

– Me observa...

Os dois ficaram algum tempo juntos com o céu como testemunha e os guerreiros com a desconfiança do que acontecia.

Na escuridão havia apenas alguns redemoinhos, de repente começaram a ouvir algo borbulhando, era o riacho que começou a aumentar a quantidade de água e ficou maior várias vezes o seu tamanho, Sereia nua deitada sobre Davi olhou para baixo e disse:

– Estão vendo? Se tivéssemos ficado a beira do riacho teríamos sido devorados pelos monstros.

– Não exagera, Sereia, é só uma plantinha com uns tentáculos que devora Smoshon. – Disse um guerreiro rindo.

– É né, engraçadinho.

– E eu falei para caminharmos em direção ao fim deste treinamento. – Mareo disse.

– Temos que descansar, quando ficar mais claro nós seguiremos.

– Sei bem como vocês estão descansando. – Grostin falou em tom de desaprovação. – Deveriam parar com isso ai!


Guerreiros dos Mundos - Em Busca do Planeta MãeOnde as histórias ganham vida. Descobre agora